Fala gurizada, nesse primeiro contato com todos do melhor portal universitário do BR, queria deixar claro minha gratidão por poder fazer parte disso junto com os novos colunistas e vocês leitores que são a razão e motivação para estarmos todos aqui.

Dos diversos assuntos que poderia ter sido escolhido, eu optei pelo que tem mais sintonia com o calor humano, a emoção e o amor que sentimos quando falam a palavra “Atlética”, e assim lembramos das cores que defendemos. Falarei coisas muito importantes relacionadas às nossas queridas Torcidas Organizadas, que PELO AMOR DE DEUS, que show que elas dão. Vão ai os pontos:

1Torcer, mas como?

Muita gente que é conectada com os jogos, que já são “macaco velho” quando o assunto é bora pro ginásio, sabe que não é só estar sentado acompanhando a movimentação dos atletas em quadra. A torcida é o famoso fator surpresa, o jogador a mais, o nosso porto seguro em um momento de dificuldade e aqueles que vamos correr pra abraçar quando vencermos aquele jogo difícil.

Na hora dos jogos, temos mesmo que gritar até perder a voz, ficar em pé fazendo aquela dancinha  coreografia linda demais da conta, e impulsionar nossos atletas em todas as circunstancias. Não pode haver espaço pra desânimo.

2Batalha nas arquibancadas

A alma e coração de todas as centenas de pessoas estão agindo de maneira diferente no momento em que o sangue está fervendo. Os batimentos se aceleram, a mão começa a tremer e o suor na camisa é presente dentro e fora das quadras.

Em jogos pegados sempre rolam aquelas provocações entre torcidas rivais ou adversárias e nunca é deixado passar nadinha. Ou seja, o jogo toma uma extensão além das quatro linhas, começa a chegar às arquibancadas e quando vemos, está na ponta de nossas línguas tudo que as mesmas pessoas que estão jogando oficialmente querem fazer, que é vencer.

Existem batalhas para ver quem canta mais por mais tempo, quem grita mais alto, os xingamentos rolam a todo momento às vezes, quem faz o show mais bonito. Torcer é realmente um espetáculo a parte, coisa de doido que nem eu.

  1. Quem coordena tudo isso?

Nesse mundo vasto e diferente de atléticas que vocês conhecem bem, existem as nossas lindas TOs. São eles, com uma diretoria própria (independentes ou não, depende do estado em que se mora) que planejam tudo que vai acontecer. A bebida que vai inflamar todo mundo, os hinos e toda zoeira criada, a parte de ser chato responsável também cabe a eles. Dentre outras coisas fora dos jogos, como ser o braço direito da Diretoria da sua atlética, criar “modas”, eventos sociais e de confraternização entre todos os associados. Como já dito antes, é algo que inegavelmente, está crescendo e tomando proporções cada vez maiores.

4. Curiosidades

Para quem não conhece, foi criada o “Mar Vermelho”, que é o cartão de visita da Torcida Organizada Epidemia-UEM, os caras são insanos. O por que disso? Um simples exemplo e legal de compartilhar é quando rolam as festas do branco na cidade, todos os atleticanos de paixão se vestem de vermelho e vão até lá mostrar quem são, e quão grandes vem se tornando.

 

A T.O.F (Torcida Organizada Formigueiro) – AAAFAEN, criou um vídeo irado na véspera dos jogos universitários da cidade de Dourados com 9 mil fucking* visualizações, que deixou os adversários admirados e geral da atlética empolgado. Deem uma conferidinha aqui!

E por fim, uma declaração do Leonardo Silveira (Presidente da Tóxica – XI de Setembro) diretamente pra gente, dizendo: “Organizar tudo isso, torcer, ver gente gritando e se emocionando do seu lado. É um sentimento muito, nossa não tenho palavras, é fantástico. É como se todas as pessoas ali fizessem parte do coração umas das outras, com uma só motivação.”

Concluindo e sendo sincero gurizada. Durante os jogos, não é só curtir as festas como se não houvesse o amanhã, sentar na arquibancada e assistir de qualquer forma um jogo de sua atlética. É doar-se inteiramente de corpo e alma independente do resultado, e ser capaz de sentir cada única sensação naquelas quadras. Porque querendo ou não, nessa vida universitária de provas, professores carrascos e notas baixas, se entregando e tendo a chance de ter um turbilhão de emoções diferentes, existe jeito melhor de viver a vida? Eu acho que não. Fica a reflexão e o pedido para nunca deixarem de torcer. Beijos de luz!!!

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here