Imagem Ilustrativa. Fonte: https://www.eufic.org/en/

Todos nós que somos universitários já sabemos que não é fácil manter uma rotina saudável durante esse período. Diante tantos roles compromissos e obrigações, ficamos presos à um ciclo de hábitos que não beneficiam a nossa saúde.

Buscando entender melhor sobre o impacto das atividades físicas na vida dos Universitários, realizei uma entrevista com o Rene Samajauskas, vice-presidente da Liga Acadêmica de Nutrição Esportiva do Centro Universitário São Camilo.

  • Para você, quais são as vantagens de se fazer atividade física aliada a uma boa alimentação?

“A atividade física possui inúmeros benefícios: tem influência na manutenção da saúde e bem estar; atua na produção de hormônios como a endorfina, que é responsável pela sensação de recompensa, aumenta a disposição e ainda nos leva ao bem estar social quando a prática é realizada com parceiros ou equipe.

Já os benefícios da alimentação saudável vão muito além de ter um corpo bonito, como muitos se preocupam. A alimentação é essencial para a vida, é o combustível do corpo. Ou seja, quanto melhor sua qualidade, maiores são os benefícios para a saúde como um todo.

Quando alinhamos a prática de atividade física com uma alimentação adequada e balanceada, melhoramos todos esses fatores de maneira exponencial. A alimentação ajuda na prática e a prática na alimentação. É uma via de mão dupla e as duas coisas devem sempre andar juntas.”

  • Com base na primeira pergunta, como isso pode ajudar as pessoas no dia a dia?

“São infinitas as formas com que essa “aliança” pode beneficiar as pessoas. Vai desde os aspectos sociais até uma vida saudável, com as variáveis da saúde (entenda aqui como os exames bioquímicos de rotina, por exemplo) em faixas aceitáveis e reguladas, energia, disposição e claro, com um auxílio enorme na autoestima.”

  • Sabemos que os universitários geralmente não possuem as melhores dietas alimentares. Quais impactos negativos essa má conduta gerará com o passar do tempo?

“Não apenas os universitários! Boa parte da população em geral não se alimenta bem, seja por preferência de alimentos sabidamente não saudáveis, por falta de informação, ou mesmo por outras razões psicossociais.

Assim como uma boa alimentação pode influenciar positivamente na vida das pessoas, a falta desta também tem impacto negativo evidente. Não é necessário olhar muito a frente para notar estes impactos. Quando nos alimentamos de forma inadequada, logo passamos a nos sentir mal em algum aspecto, sentimos letargia, indisposição, aquela variação indesejada no peso. Para os praticantes de atividade física, os efeitos são ainda mais notórios, pois há uma diminuição expressiva no desempenho esportivo.

Caminhando para o longo prazo, diversos são os cenários possíveis. Estes hábitos podem levar principalmente ao desenvolvimento de doenças: Diabetes Mellitus II; obesidade; dificuldades em executar tarefas simples do dia a dia; indisposição; problemas cardíacos e de circulação; problemas hormonais; entre muitos e muitos outros. Aqui se faz importante destacar a individualidade. Não é porque Fulano come hambúrguer e toma cerveja todos os dias e não teve doenças, que você ou outra pessoa não vão desenvolver.”

  • Quero mudar meus hábitos! Por onde começar?

“Primeiro de tudo, entenda o porquê quer mudar! Quais os motivos que fizeram com que essa decisão fosse tomada e quais os benefícios que isso vai lhe trazer a curto, médio e longo prazo.

Feito isso, o mais importante é que entenda que hábitos não se constroem do dia para a noite, assim como não de desfazem também. Por isso, não apele ao radicalismo e extremismo. Se você é uma pessoa sedentária com uma alimentação ruim, amanhã certamente não acordará com a rotina de um atleta que se exercita 2x por dia e tem uma alimentação 100% regrada.

Comece aos poucos com pequenas mudanças. Se atente às escolhas alimentares, busque aumentar a quantidade de atividades ao longo dos dias. Busque algo que seja possível de se manter a longo prazo. Lembre-se de que, é melhor um método bom que seja feito por anos do que um método perfeito que você fará por uma semana.

E a principal dica. Procure um profissional da área! Apenas um nutricionista pode fazer uma avaliação e prescrição das melhores estratégias nutricionais para o seu caso – lembre-se, você é unic@, seu corpo não funciona exatamente como o das outras pessoas – assim como somente um profissional de educação física é habilitado para estruturar os melhores treinamentos para o seu caso. Hoje muita gente fala o que quer na internet, muita informação está correta, porém a grande maioria, rodeada de bobagens e mentiras sem fim. Seja crítico e não se deixe levar por qualquer notícia que aparece. Não busque por milagres, eles não existem! Se existissem, você veria apenas pessoas perfeitas e satisfeitas na rua, longe do que acontece.”

5) Essas mudanças podem provocar impactos positivos nos estudos?

“Esse é um ponto interessante. Uma relação direta da alimentação com o desempenho nos estudos pode ser um ótimo tema para trabalhos futuros, acredito que ainda não exista muita coisa a respeito. Porém, podemos dizer que, ao menos de maneira indireta, tem sim um grande impacto. Quando não estamos nos sentindo bem, seja por uma simples dor de cabeça, doença, cansaço ou fatores psicossociais, nosso rendimento tende a cair expressivamente. Tendo em vista os benefícios de hábitos saudáveis, esses fatores podem ser amenizados ou até eliminados, o que possibilitaria sim um melhor desempenho.”

Pela entrevista, já deu para perceber que são inúmeros os benefícios quando praticamos atividades físicas, aliando a uma boa dieta alimentar. Mas, para que tudo isso seja feito, é necessário o primeiro passo. Com essas atitudes iniciais começaremos a mudar nossas vidas e sairemos da zona de conforto.

Pratique esportes!

Imagem Ilustrativa. Fonte: https://www.eufic.org/en/

Como vimos na entrevista acima, as atividades físicas têm influência na manutenção da saúde e bem estar. Os esportes que você pode praticar são os mais variados! Comece com algum que você tenha vontade de fazer, assim será muito mais fácil dar continuidade aos treinos. É importante lembrar que se você não pratica nenhuma atividade física ainda, é bom começar devagar para não gerar lesões.

Mude seus hábitos!

Imagem Ilustrativa. Fonte: https://www.eufic.org/en/

Vivemos em uma época que muitos querem resultado, mas poucos saem da zona de conforto para alcançarem suas metas. Se você deseja criar hábitos mais saudáveis, é indispensável que mude sua rotina alimentar. Não seja radical ao longo desse processo! Mude semanalmente os hábitos que não te beneficiam; ao longo do tempo eles deixarão de ser prioridade em sua vida.

Alimente-se regularmente!

Imagem Ilustrativa. Fonte: https://www.eufic.org/en/

 

Por falta de tempo, na maioria das vezes, deixamos de nos alimentar durante longos períodos no decorrer do dia. Isso é algo que reflete nas nossas alimentações principais, tanto no almoço quanto no jantar. O ideal, é que façamos refeições de três em três horas. Assim, não descontaremos aquela fome excessiva em nossos pratos.

Cozinhe mais!

Imagem Ilustrativa. Fonte: https://www.eufic.org/en/

Quem é que nunca deixou de cozinhar e pediu um delivery, pelo simples fato de ser mais rápido/fácil? SIM, universitários tem preguiça, e muita. Mas, se você deseja mudar sua rotina alimentar, é necessário ficar atento a esse ponto. Tente cozinhar ao longo da semana, e pedir delivery apenas aos finais de semana. Desse modo, você irá ter refeições mais saudáveis e poupará uma grana.

Durma bem!

Imagem Ilustrativa. Fonte: https://www.eufic.org/en/

Ter uma boa noite de sono é essencial para que você consiga concluir todos os seus objetivos no dia posterior. O ideal é que tenhamos uma noite de sono de 8 horas para descansar bem. Se você sofre com problemas de ansiedade, evite redes sociais em um período de 30 minutos antes de dormir.

Evite a ansiedade!

Imagem Ilustrativa. Fonte: https://www.eufic.org/en/

Todos já passamos por um momento de ansiedade diante das redes sociais. É comum, visto que absorvemos uma grande quantidade de informações de uma vez só. Diversos são os estudos que já demonstraram que as redes sociais também provocam outros sintomas, como: frustração, baixa autoestima, insegurança e insatisfação. Por outro lado, é comprovado que atividades físicas atuam na produção de hormônios como a endorfina, responsável pela sensação de recompensa e bem estar. É por esse fator que devemos dedicar um intervalo maior do nosso dia à prática de exercícios e atividades que temos prazer em fazer.

Seja consciente!

Imagem Ilustrativa. Fonte: https://www.eufic.org/en/

Você, e somente você, sabe o que é melhor para a sua vida e tem o poder da escolha sobre ela.

Com isso chegamos à conclusão que sim, vida universitária saudável existe, e só depende de nós para que ela se torne realidade. Se você anda insatisfeito com a sua rotina, busque orientação médica e lembre-se: um passo de cada vez.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here