Festa Jogos Jurídicos do Paraná 2017

Os jogos jurídicos paranaense existem a mais de 15 anos, ao longo desse tempo ele já coleciona diversas histórias, rivalidades e campeões. Nesse ano de 2020 era para ser realizada sua 16° edição, como todos sabem o corona veio e fez seu nome, como não houve jogos nesse ano, nos resta lembrar das edições passadas.

Lá no ano de 2005 era realizada a primeira edição do JJPR, na cidade de Maringá, um jogos no início, com atléticas sendo fundadas, tudo novo. O pódio aquele ano ficou 1-FDC, 2-PUCPR e 3-UFPR. Até o ano de 2009 a hegemonia da FDC era implacável, porém veio o ano de 2010, onde houve um racha na liga, ocasionada por divergências entre as atléticas, naquele ano não houve uma participação de todas as atléticas, foi um jogos diferente, menor, conquistado pela UEM na cidade de Maringá, depois de 5 anos uma nova atlética entrava no hall das campeãs.

Bom com a união das atléticas novamente surgia no horizonte o JJPR 2011, onde várias perguntas pairavam no ar, será que a FDC vai voltar com a sua hegemonia? A UEM vai manter o título? Bom como todo bom JJPRLOVER sabe, nesse ano a UEL levantou o caneco e se concretizava uma das maiores rivalidades dos jogos, UEL X UEM, uma rivalidade que vinha quente desde 2008, e que até hoje movimenta os jogos dentro e fora de quadras.

Após ganhar o título em 2017 na cidade de Maringá a UEL colocou um outdoor de provocação na frente da UEM

Conversei um pouco com os responsáveis pelas atléticas campeãs dos jogos. Pegando alguns dados deles e histórias.
Começando com a FDC, penta campeã dos jurídicos.
A atlética de direito da FDC foi fundada em 1994, na cidade de Curitiba.

Qual a maior rival da FDC?
“Nossa maior rival é a alçapão alcoólico, direito PUC Curitiba”.

Qual esportes mais vitorioso da sua atlética?
“O esporte mais vitorioso nosso é o futsal masculino, que em 2017 e 2018 foram campeões consecutivos”.

Quais foram os melhores jogos e o pior para a FDC?
“Os melhores jogos para nos foram entre 2005 e 2009 quando levantamos o caneco de campeões gerais, e o pior na opinião deles foi o do ano passado, devido ao problema causados pela C.O com o erro na listagem”.

Perguntei qual é o ritual que eles fazem antes de partir pros jogos.
“Então, uma semana antes sempre temos um momento só nosso, pra beber e relaxar depois de uma daquelas reuniões eternas pra repassar os pontos também tem o encontro no bar antes da viagem, que nos reunimos pra organizar a entrega dos kits e organização pra viagem já que normalmente são uns 8 ônibus”.

Agora vamos para a atlética tetra campeã dos jogos, AADUEM, direito UEM.

A atlética de direito da UEM foi fundada no ano de 2005, na cidade de Maringá.
Repeti as mesmas perguntas para a presidente da AADUEM, Luana Biondo.

 

Quem é o seu maior rival?
“O maior rival da UEM é, desde sempre, a UEL… A gente se move no mesmo ritmo durante o ano, um sempre de olho no outro, durante o JJPR também sempre mantemos os ouvidos atentos pra contabilizar os pontos deles e comparar com os nossos; a graça toda é competir com eles, alimentar a rivalidade, cruzar as torcidas nas arquibancadas e nas festas… É regra velada da delegação da UEM não usar nada verde”.

Qual foi o melhor ano da AADUEM?
“2015 foi de longe o melhor ano da Galo Terror no JJPR, depois de dois anos de títulos consecutivos, em Guarapuava. Foram dias de muitas vitórias dentro de quadra, piscina e fechamos com chave de ouro, frente a frente com a UEL no futebol de campo, onde conquistamos a modalidade por 1×0. Naquele ano, fomos campeões com 32 pontos de diferença pro 2º lugar, local do pódio que ficou ocupado pelo rival”.

Qual o pior ano?
“2019 em Cascavel – acabamos o JJPR em 4º lugar, fora do pódio pela primeira vez em 11 anos”.

Um ritual que sua atlética sempre faz antes de partir para os jogos.
“Na BO 0, última reunião antes dos jogos, ninguém fica com o celular ligado; antes de embarcarmos no ônibus rumo à cidade sede do JJPR, sempre nos juntamos na concentração (muitas vezes membros da velha guarda que ficarão em Maringá vão até lá e nos acompanham até a hora de partir) e rezamos pelos dias que virão e pelos atletas”.

Qual Modalidade que mais venceu nos jogos ?
“Nos coletivos, basquete feminino (octacampeãs); nos individuais não se tem certeza se é xadrez ou tênis mesa”.

Torcida AADUEM JJPR 2019

Agora a maior campeã dos jogos, atual hexacampeã, a AAASM, direito UEL
A A.A.A.S.M direito UEL foi fundada em 2002, na cidade de Londrina.

Quem é o seu maior rival?
“Galo terror, direito UEM”

Qual Modalidade que mais venceu nos jogos ?
“Coletivos, basquete feminino, individuais atletismo feminino e masculino”.

Qual foi o melhor ano para a AAASM?
“O melhor ano para a AAASM foi em 2017, onde ganhou os jogos da sua principal rival na cidade deles”.

Um ritual que sua atlética sempre faz antes de partir para os jogos.
“Tradicional galinhada dos atletas e a concentração da delegação no bar Papo Cabeça na saída para os jogos”.

O que os jurídicos representa para sua atlética ?
“A A.A.A.S.M. acredita que o JJPR é a consolidação de todo o trabalho duro realizado em conjunto por todos aqueles que representam o curso de direito da UEL, sejam eles atletas, membros, diretoria ou bateria. É onde temos a chance de competir em alto nível, buscando sempre uma nova conquista, sem deixar de mostrar quem é a verdadeira campeã da baixaria”.

Mas não só de atléticas vivem o jogos jurídicos, as baterias dos jurídicos também são respeitadas, e algumas delas como a Tatukada, ajudaram a consolidar o mundo de B.U no cenário estadual e nacional.

Conversei um pouco com a bateria para saber mais sobre sua história e influência no início dos jogos.
“A Tatukada foi uma das primeiras bateria a lançar a ideia de criar um desafio de baterias pro JJPR, isso em meados de 2010, após terem visto um desafio do Interunesp Assis em 2009.

Em 2010 não rolou por conta de uma racha dos jogos que acabaram acontecendo em dois lugares por conta de um rompimento na própria liga, e a conversa com outras baterias também não tinha se firmado.

Em 2011 os jogos voltaram a ser com todas as atléticas em uma só cidade e as baterias abraçaram a ideia de fazer um desafio, nesse ano a Tatukada inclusive foi CO para poder montar o desafio e ir atrás de jurados, como ainda era uma ideia nova os jurados eram da própria atração dos jogos que era o Monobloco, então três integrantes julgaram o desafio de baterias daquele ano. A Tatukada ficou em 3° e fez o famoso fogo no repique que é uma das histórias que a gente mais se orgulha e conta por aí por questão de inovação (quem não vou o repique pegando fogo não zerou a vida de bateria).

Já em 2012 foi o ano do primeiro título, aquele ano inclusive a UEL venceu os jogos e a Tatukada o desafio. Em 2013 e 2014 foram anos de título também para a Tatukada que despontou no cenário, nos outros anos o nível de técnica foi ficando cada vez mais alto e outras baterias foram se tornando destaque também”.

Bateria Tatukada JJPR 2019

A atual tetra campeã do desafio é a bateria Os Federais, da UFPR, a Tatukada vem em seguida com 3 títulos, a bateria BATUCANAAA, direito UFMS e a bateria Los Borrachos, direito FDC possuem um título cada.

Torcida UFPR JJPR 2017

Para finalizar as curiosidades, conversei com o presidente da maior edição dos jurídicos(segundo várias fontes de jjprlovers), Lucas Mantovani, que presidiu os jogos na 13° edição na cidade de Maringá.

Como foi pra você ser presidente de uma edição do JJPR?
“Assumir a presidência da LJPR não estava em meus planos, era o último ano de faculdade, já tinha me comprometido com outros projetos, então precisava me desvincular um pouco desse universo de Comissões Organizadoras e diretoria de atlética, mas aí bateu a famosa dificuldade de largar o osso. Como a Galo sempre teve um papel muito importante dentro da organização do JJPR, topei o desafio. E que bela decisão, a experiência foi fantástica! Networking, tomadas de decisões, criatividade, marketing, planejamento, estatuto, reuniões com diretores de colégio, secretários de esporte, arbitragem, enfim, a gente acaba adquirindo uma boa bagagem sobre relacionamentos e muito aprendizado em diferentes áreas”.

Quais foram as dores de cabeça no decorrer dos 4 dias?
“As dores de cabeça são várias, o ritmo durante os quatro dias de competição é frenético. Cada imprevisto que surge no andamento de uma modalidade esportiva acaba interferindo no decorrer das outras, você precisa estar sempre atento para que nenhum atleta saia prejudicado, ou ao menos consiga reduzir os danos. E essa era a minha principal preocupação no decorrer do evento, que o esportivo fluísse de acordo com o planejamento da CO. Existe muito treino e suor envolvido, e a gente precisava corresponder da melhor forma possível.
Outros problemas acabam surgindo em decorrência de exageros, infelizmente. Exageros de torcedores que chegam a interromper o andamento de jogos, de alojados que esquecem que estão em um colégio público, da galera que acha que o evento é só diversão e pode tudo, então também temos de estar sempre atentos a tudo o que acontece além do esportivo, inclusive, para conseguir zelar pela cidade que nos concederam”.
Sua atlética do coração e sua história com ela.
“Bom, entrei na AADUEM quando estava indo pro terceiro ano de curso, meio tarde, mas no final desse mesmo ano já assumi a presidência, e foi uma loucura. A nossa atlética era responsável por vários eventos internos durante o ano, realizava uma festa pra mais pra mais de duas mil pessoas (mesmo tendo cerca de 800 acadêmicos) e ainda participava de dois grandes eventos esportivos. Entrei justamente quando o JJPR daquele ano, 2015, deu muito prejuízo a várias atléticas, que tiveram de se reinventar pra conseguir quitar suas contas, e ainda, foi o ano em que praticamente toda gestão anterior estava de saída, muita loucura, mas sobrevivemos e reestruturamos bastante coisa em 2016. Setorizamos e criamos várias diretorias, fomentamos o marketing, ampliamos o leque de produtos, tiramos o plano de sócios do papel, trouxemos patrocinadores, e a diretoria saiu de 10/15 membros pra cerca de 40. Nos anos seguintes, até o fim de 2017, continuei atuando no marketing, ajudando com o planejamento de eventos e dando pitaco em quase tudo (velha guarda chata). E ainda sigo apaixonado e torcendo muito por ela, que é a maior atlética de Direito do Paraná”.

E histórias que você acha interessante sobre os bastidores da organização dos jogos que você foi presidente.

“Assim que assumi a presidência de um evento tão grandioso e tradicional, vi que era uma oportunidade de explorar as minhas maluquices de querer inventar coisa nova, e de que o momento pedia exatamente isso, de novidades, visto que a edição anterior acabou sofrendo um pouco por uma série de imprevistos e dificuldades. Como eu tinha participado da CO anterior, já tinha sentido na pele muita coisa, e graças a isso, me dediquei pra conseguir alcançar alguns objetivos-chave.

O primeiro era sobre implantar a segunda divisão, porque sempre era um caos estabelecer os horários, eram muitos jogos pra poucos dias, e outra, sem a segundona, nenhuma nova atlética poderia entrar na Liga, o evento ficaria estagnado. Mas aí conseguimos achar uma pequena brecha no estatuto, e finalmente ela passou, foi aprovada e isso significou uma grande conquista pro JJPR. Outras atléticas entraram nos anos seguintes e hoje já são várias as disputas em jogo, isso faz com que o desempenho de muitas atléticas melhore, e o engajamento da torcida aumente.

O segundo objetivo, e talvez o que mais fez diferença quanto ao número de pessoas no evento, foi o de reduzir o preço do pacote de participação, e isso envolvia encontrar uma cidade estratégica, mais central, e que não fosse extremamente longe pra qualquer atlética participante. Dentre as opções, Maringá foi a escolhida, a cidade da minha atlética, fiquei com medo da galera do meu curso nos odiar, todo mundo quer curtir esses quatro dias longe de casa, mas até que foi tranquilo. E não é por nada, mas Maringá é foda! Tem uma estrutura perfeita pra eventos esportivos.

Outro fator importante, era termos festas que mesclassem atrações nacionais e regionais, pra reduzir ainda mais o preço, e deu muito certo! No começo, recebemos algumas reclamações, como sempre, mas levando em consideração que a galera curte mesmo é a atmosfera dos jogos e não só as atrações com artistas famosos (baseado em pesquisas de satisfação), foi sucesso! E também focamos em festas temáticas, inclusive, lançamos pra galera votar pela página do Facebook qual seria o tema de uma delas, e boom, deu uma repercussão absurda, quase 4 mil reações, 2 mil comentários, compartilhamentos em lugares inimagináveis, e o resultado: um puta marketing a custo zero.

Por fim, a comunicação também precisava ser mais direcionada pra competição esportiva, mostrando um pouco mais da tradição de cada atlética, trazendo provocações, rivalidades e que também contasse algumas histórias marcantes, isso foi incrível. Cada atlética enviou um textão e uma foto sobre um JJPR Histórico, e eu cheguei a passar algumas horas editando na madrugada. Várias me emocionavam, mas uma em específico, que fala sobre o triste falecimento de um atleta pouco antes do JJPR de 2011, foi comovente demais! Essa história conta que o time desse atleta foi, heroicamente, campeão do futsal masculino, justamente em 2011, e até a mãe dele comentou agradecendo a homenagem maravilhosa que a atlética de Direito da PUC Londrina fez pra ele. Impagável!

É isso aí, passei por inúmeros os momentos emocionantes nessa edição, tanto pré, durante e pós evento. Carrego todos na memória e tenho certeza que quem já fez parte disso, sente o mesmo. Baita saudade!”.

Bom os jogos não são resumidos as essa atléticas e baterias que foram mencionadas, os Jogos Jurídicos Paranaense é gigante, com milhares de histórias, consegui colocar só algumas aqui. Nesse momento é saudade que nos resta, porém quando voltar a rivalidade, a sede por vitórias a saudade de integrar, vão falar mais alto, nos ajudando a escrever mais história nesses jogos que já virou tradição.

Torcida UEPG JJPR 2019

– Link sobre a votação da festa temática: https://www.facebook.com/jogosjuridicospr/photos/a.449072858456205/1672808292749316/
– Link da homenagem da Puc Londrina: https://www.facebook.com/jogosjuridicospr/photos/a.449072858456205/1677888612241284/

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here