Como é ser Comissão Organizadora nos Jogos?

Nem sempre muito notados pelo público, mas não menos importantes, é por trás de toda a dinâmica de organização dos jogos que existe uma equipe denominada “Comissão Organizadora – CO”, que basicamente está responsável por todo planejamento e execução dos jogos, seja na parte esportiva, quanto nos eventos.

Mas como é ser essa pessoa responsável por tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo nesses dias de competição e muita festa?

Como tudo tem um começo, a comissão organizadora de cada jogos tem seu nascimento lá na reunião de fechamento/encerramento da última edição. Normalmente é nessa reunião em que a liga recebe a prestação de contas do evento, uma possível reclassificação após as revisões de súmula, enfim, essa reunião encerra oficialmente uma edição dos jogos e já define quem são as próximas atléticas a comandarem a edição do ano seguinte. 

Então de uma forma muito simples (vista por nós aqui de fora,rs), a liga que é constituída por todas as atléticas participantes dos jogos, vota nas atléticas candidatas a cada cargo que compõe a comissão organizadora, normalmente em sua grande maioria os cargos são: Presidência, Vice Presidência, Secretaria, Tesouraria, Alojamento, Esportes e Eventos, podendo haver outros cargos caso a liga tenha necessidade. E então, nasce uma nova CO.

Mas quem são essas pessoas, onde elas vivem, o que elas comem? Brincadeiras à parte realmente são pessoas diferenciadas que costumam se envolver nesse tipo de atividade na liga. Primeiramente porque o nível de responsabilidade e comprometimento aumentam muito em relação aos mesmos, quando cuidamos de pessoas e atividades somente na atlética. Digo isso porque quando uma pessoa assume uma comissão organizadora, ela deixa de olhar apenas para a sua associação e passa a olhar, zelar e planejar por todas as outras associações que compõem a liga. Ou seja, um dos pontos mais importantes que ressalto sobre ser um membro de CO é deixar o clubismo e as rivalidades de lado e tomar para si que agora você é parte de todas as atléticas. Confesso que é muito difícil na prática, mas extremamente necessário porque da mesma forma que entendemos as dificuldades e limitações da nossa atlética, precisamos entender de mais um monte de outras associações. 

O fato é que as responsabilidades são gigantes em fazer parte desse time organizacional que é uma CO, mas não são somente “fardos” a serem carregados não. As experiências que essas oportunidades proporcionam aos diretores de atlética é imensa e muito rica, afinal essa atividade, independente do cargo do qual colabore, nos envolve em grandes missões de relacionamento, planejamento e desenvolve absurdamente nossa aptidão de liderança. 

Nossa Jo, mas é tudo isso aí mesmo?
Fazendo aqui um exercício bem rapidinho de imaginação: vamos usar o Engenharíadas Paranaense como exemplo. Para realizar o EP precisamos de uma cidade sede, que vai receber as delegações de 26 atléticas (bastante gente), que vão dormir e comer na cidade durante quatro dias e que vão disputar 22 modalidades esportivas certo? Nesse pensamento rapidinho e bem superficial, a gente consegue perceber o quanto de coisas necessárias que a CO precisa levantar para realizar os jogos, e a parte mais delicada, com quantas organizações (prefeitura, núcleo de educação, policiamento, etc) eles precisam negociar e trabalhar. Pensa na responsa!!!

Mas além de toda essa experiência, principalmente de responsabilidade, a gente consegue curtir muito esse momento, como divide com você Thalita Schoffen, ex presidente da Epidemia e que tem uma grande experiência em várias Comissões Organizadoras: “Fazer parte de uma CO, foi e é algo que veio me agregando conhecimento e experiências ao longo desses anos, em uma CO você tem a oportunidade de conhecer e aprender na prática como os jogos são feitos. É a oportunidade de criar um grupo de amigos com os quais você vai ter contato diariamente, vão se encontrar algumas vezes durante o ano, mas no fim de tudo você tem a oportunidade de criar amigos pra levar pro resto da sua vida!” 

Então – suspeitíssima pra falar porque depois que fui uma vez CO, nunca mais deixei de ser –  essa experiência de vida que é ser comissão organizadora é muito mais que um desafio, é um agregado de momentos, pessoas e desafios que somam não só para nossa vida pessoal, mas também para nossa vida profissional,gerando rede de contatos e uma bagagem enorme de muito aprendizado! Então se você tem essa oportunidade, vai fundo, você ganha muito e sua atlética também!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.