A importância do entretenimento online durante a pandemia.

Chamar o ano de 2020 de complicado seria no mínimo um elogio. Além das incontáveis vidas perdidas para a COVID-19, aos que sobrevivem ficam vários desafios, dentre eles o de ocupar a mente e buscar uma maneira de espairecer e se divertir sem a possibilidade de sair de casa e buscar entretenimento em bares, cinemas, shows e baladas. Nunca antes o entretenimento virtual foi tão buscado e tão necessário para a sociedade quanto nesse último ano.

Logo que as primeiras medidas de isolamento foram anunciadas no Brasil, vários artistas apostaram em transmissões ao vivo, as famosas “lives”, para se manter em contato com o público. As lives não são nenhuma novidade, mas só no primeiro semestre de 2020 o aumento no número de buscas por esse tipo de transmissão cresceu 4900% segundo dados veiculados pela revista EXAME. Algumas dessas transmissões tiveram picos de audiência gigantescos, como foi o caso da live da cantora Marília Mendonça, no dia oito de abril de 2020, que obteve um número de 3,3 milhões de acessos simultâneos. Para fins de comparação, isso dá quase 42 estádios do Maracanã lotados! Outros artistas que também geraram enorme engajamento dignos de nota foram a dupla Jorge e Mateus (3,1 milhões de acessos simultâneos), o cantor italiano Andrea Bocelli (2,8 milhões) e o cantor Gusttavo Lima (2,7 milhões). Vale lembrar que vários artistas usaram desse veículo como forma de solidariedade: segundo a Associação Brasileira de Captação de Recursos (ABCR), até junho de 2020, cerca de 17,6 milhões de reais foram arrecadados através de mais de 120 artistas durante suas lives.

Mas nem só de lives (algumas vezes regadas a quantidades pouco aconselháveis de cerveja) vivemos no último ano. Diversas plataformas de streaming apresentaram um aumento considerável no uso da plataforma por seu público e na quantidade de tempo e conteúdo que esses usuários consumiram. Dados da consultoria App Annie apontam que o brasileiro gastou em média 130% mais tempo em serviços de streaming de vídeo do que em 2019, e segundo a Consumoteca, cerca de 51% dos brasileiros passaram a considerar ou seguem considerando serviços de streaming como uma necessidade dentro de seu orçamento.

Apesar da vacina estar chegando, parece cedo para sonhar com nossos tão amados jogos e rolês. Então se aconchega no sofá, escolhe seu serviço de vídeo, música, livros ou jogos e chama os amigos para curtirem juntos. Cada um na sua casa, óbvio.

Capa: Imagens Google

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.