Foto: Liga Uni

Falaaaa minha gente aqui do Integraê!
Como vocês estão? Espero que estejam todos bem e sobrevivendo a esse final de semestre – rindo de nervoso aqui
🙈

Como eu já tinha comentado com vocês na minha última matéria aqui, Oktomed – o maior esquenta universitário para a Oktoberfest, a minha matéria para este mês seria em clima de verão e cá estamos nós, falando sobre o maior evento universitário e um dos mais aguardado do ano, para a galera aqui do sul do país. Pensa na loucura que é isso – pegação rola solta! 😈

Mas o que é Universipraia??

Foto: Liga Uni

Vamos lá… O Uni, como chamamos carinhosamente, é um evento que uni as atléticas do sul do país todo para um evento de integração a nível hard na praia. O evento rola normalmente durante um dos feriadões do mês de novembro, e como na edição passada, a edição deste ano será no Feriadão da Proclamação da República, que é no dia 15 de novembro – está chegando galerinhaaaa! 😍

Um comentário super legal que achei na página do Uni do CEO da VOE Ideias, Fernando Ligorio, que é a agência por trás do Universipraia e acho super válido compartilhar com vocês, é o seguinte:

O Uni é o evento que a gente queria ter ido na universidade, mas não existia! Então a gente resolveu criar um projeto que reunisse jogos, festas, praia e integração em um mesmo evento! Aí veio o público e deu o tempero especial que faltava: a vibe única que existe no Uni.”

O evento conta com uma superestrutura na praia do Mar Grosso, em Laguna – SC. São basicamente 3 há 4 dias de evento (depende o dia que o feriado caí), com jogos de praia entre as atléticas, duas super arenas e shows nacionais. E para as atléticas que querem participar dos jogos do evento, existe duas divisões: Atléticas de Divisão Especial e Atléticas de Divisão de Acesso. Onde a primeira é como se fosse a nossa Série A do Brasileirão e a segunda a Série B. Ou seja, primeira e segunda divisão. Para alguma atlética que queira participar dos jogos, precisa enviar uma carta a CO, para que a atlética passe por uma aprovação e possa participar da Divisão de Acesso. Isso tudo, em um prazo determinado pela própria Comissão Organizadora que também diz quais são os pré-requisitos e como funciona o paranauê todo. As modalidades esportivas que rolam durante o evento são:

Foto: Liga Uni
  • Futebol de areia – feminino e masculino;
  • Handebol de areia – feminino e masculino;
  • Rúgbi de areia – feminino e masculino;
  • Vôlei de areia – feminino e masculino;
  • Futevôlei – feminino e masculino;

O evento já contou com Shows nacionais de grandes nomes artísticos como: MC Menor, Nego do Borel, Bruninho e Davi, Ludmilla, MC Davi, João Neto e Frederico, Grupo Pixote, Lucas Lucco, Dani Russo, MC Kekel, Kevin e na edição deste ano a Line-Up também contará com grande nomes como: Vitão, Santi, Dennis DJ, Thiago Brava, DJ Liu, Banda Eva e Kevin O Chris. É óbvio que não foi listado aqui todos os nomes, né?!

Foto: Liga Uni

E para saber um pouco mais da história que esse evento vem escrevendo até aqui, conversei com o Victor Amorim Silva da Voe Ideias que nos ampliou a perspectiva que temos desse evento.  

Quando o Universipraia surgiu e como foi dar o “ponta pé” nesse projeto?

Criamos um evento que queríamos ter ido na época de universitários!

Sempre fomos nos eventos voltados aos seus cursos e com esportes de quadra. Percebemos que faltava um evento que juntasse todos os cursos, disputando modalidades que não eram comuns aos outros eventos. E o principal de tudo, criar uma arena única! Onde rolassem os jogos em paralelo a um palco com atrações, tudo no mesmo espaço.

Como foi a primeira edição?

Fizemos o primeiro evento em 2011 na praia de Itapema. Foram por volta de 800 pessoas na edição.

Saímos com a sensação que o projeto tinha sido um sucesso! fizemos uma pesquisa de satisfação onde 98% das pessoas indicaram que voltariam para a próxima edição. E a melhor forma de mostrar que o evento realmente foi um sucesso desde o seu início, é que na 2º edição, em Balneário Camboriú no ano de 2012 recebemos quase 3 mil participantes!

Foto: Liga Uni

Quais os maiores desafios que tiveram com o evento?

O grande desafio é sempre dar uma experiência única aos participantes. Quando decidimos criar o evento, sabíamos que precisaríamos de algo diferente para não ser mais um evento universitário.

Hoje participar do evento é quase uma obrigação acadêmica para os universitários aqui do Sul. Qual o segredo? Só indo na próxima edição para entender!

Foto: Liga Uni

O evento sempre teve este formato que vemos nessas últimas edições, ou houve mudanças significativas?

Sempre tivemos duas arenas, uma de jogos que funciona durante o dia, e outra apenas de festas que funciona de noite. A grande mudança foi no ano passado que iniciamos com os shows nacionais na arena de jogos. Até então os nossos shows nacionais eram apenas na arena da noite.

Foto: Liga Uni

Uma outra coisa que podemos comentar aqui para os plantões de logísticas de atlética que devem estar se perguntando, onde a galera fica alojados?! Então, normalmente, as atléticas que vão para o Uni alugam antecipadamente – digo antecipadamente, é antecipadamente mesmo, tipo lá por junho já está praticamente tudo ok – uma casa, apartamento e também hotel. Até nesses casos, algumas atléticas da mesma universidade, ou não, se unem e alugam juntas o mesmo lugar e às vezes vale até acampamento no terreno da casa onde a galera vai ficar alojado. Normalmente a atlética que está organizando leva em conta toda a questão de logística, como a localização da casa até a arena do Uni e mercados, restaurantes. Como é muita gente indo para o mesmo lugar, é óbvio que nem sempre tem local próximo a arena para se estabelecer, mas faz parte! E vale lembrar que nem todas as Atléticas que participam desse rolê, participam da Divisão Especial ou Divisão de Acesso do Uni. Existe entre as várias atléticas aquelas que participam do Uni, aqueles que estão tentando entrar para a Divisão de Acesso, e também aqueles que só vão para prestigiar o evento e meter o louco!

Foto: Liga Uni

Conversei com o Eduardo de Jesus Paulino da A.A.A. CERES – Associação Atlética Acadêmica Centro de Educação Superior Região Sul, uma das atlética que faz parte da “Divisão Especial” do Uni,  e que é lá de Laguna mesmo, que compartilhou comigo o que é para eles o Uni, como é a preparação para esse evento e  a movimentação que o evento proporciona na cidade.

“Para a Atlética, assim como para as demais atléticas, o Universipraia, para aqueles que trabalham com a venda dos pacotes, ele acaba vindo como uma renda extra e para muitas atléticas como um fôlego. Porque esse valor que entra referente ao Universipraia, é o que proporciona a gente a se manter durante alguma parte do ano. Como também pode ajudar a comprar produtos e materiais para a Atlética, atletas, ajudar a financiar eventos e de modo geral. Então, esse valor que entra é muito bom! Para a cidade de Laguna, como a gente é daqui a gente vê que movimenta muito, principalmente o comércio na parte de hoteleira, restaurantes que fica no Mar Grosso, as pessoas da cidade que trabalham durante o evento com comércio de rua ou trabalhando no próprio evento em si. Um dos problemas, no entanto, que vemos é na parte ambiental. Porque não temos um plano de ressarcimento ambiental do evento. Principalmente, um dos grandes problemas que causa, seria os plásticos deixados nas arenas das tatuagens. A quantidade que fica desse material, é enorme! E por mais que é catado uma parte, você não consegue recolher a maior parte desse descarte. E acreditamos que a CO do evento poderia pensar em algo para solucionar isso. Mas, além disso, é notável que o evento em si, trás muitas vantagens para todos nós. Só mesmo na questão ambiental – já que não dá para pensar apenas na parte econômica, ainda mas nós, de cursos voltados para as áreas biológicas – achamos que uma coisa que o evento deveria repensar é no impacto negativo que tem no ecossistema da parte costeira da praia do Mar Grosso.”

Elaiaaa! Viu só, acho que é a primeira vez que vejo pessoas pensando sobre essa questão ambiental que é importante e fundamental em relação aos eventos universitários. Bora chamar a agência Voe Ideia no probleminha e começar a articular com eles uma solução viável para que o evento não ser torne um problema a todo o ecossistema – isso incluí as pessoas – da Praia do Mar Grosso. E de fato, fica a dica para todos os demais eventos.

É isso meu povo! Espero que vocês tenham curtido a matéria de hoje, porque euzinha aqui estou empolgadíssima com esses eventos universitários de final de ano (hahaha)! E se você tem algum tema que gostaria que a gente escreve pra compartilhar com a galera, só chamar a gente e mandar a sua sugestão. Sempre estamos empolgados e prontos para escrever mais uma matéria! Nos vemos em breve aqui no Integraê 😘

Quer saber mais sobre o assunto? Bora lá!

Você conhece o Stammtisch Universitário?

Oktomed – O maior esquenta universitário para a Oktoberfest

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here