Foto: Engenharíadas Paranaense

Fala galera, depois de quase duas semanas dos jogos mais insanos do Sul do Mundo, o Engenharíadas Paranaense, hoje vamos matar um pouquinho da saudade que ficou falando de uma atlética mais do que especial: a minha amada Epidemia UEM!

Como diz um amigo meu, levar no peito o nome da Epidemia e defender essa atlética, dentro ou fora de quadra, vem com um peso muito grande. A expectativa depositada em nós é gigantesca e queremos sempre ser a melhor atlética, a melhor torcida, a melhor equipe de cheerleading e a melhor bateria. Mas esse peso se torna imperceptível perto de todos os inúmeros pontos positivos e carregamos com o maior orgulho justamente por fazer parte da FAMÍLIA EPIDEMIA.

Assim, com esse amor dentro do peito e o desejo de ser campeão na cabeça, em 2019 a UEM chegou em Umuarama com uma energia singular e se destacou, AINDA MAIS, conquistando pela primeira vez, depois de 10 edições, os três pódios do Engenharíadas Paranaense: GERAL, CHEERS E BATERIA.

O início desse pódio epidêmico aconteceu logo no comecinho do ano quando a união tomou conta de todos os mosquitinhos e pudemos perceber que mais do que nunca todas as vertentes estavam muito próximas e alinhadas. Eu, como presidente dos Cheerleaders Epidemia, pude perceber que o apoio e incentivo imenso que começamos a receber desde a gestão passada só crescia e nós dava cada vez mais forças. De acordo com o presidente da atlética, João Vitor Almeida, essa integração tinha o intuito de trazer um ânimo a mais para os jogos: “isso trouxe muito apoio para a atlética que pôde transmitir essa energia para os atletas e ritmistas durante os jogos e ajudar nas conquistas dos Campeonatos e Desafio“.

Foto: Isadora Diamante

Além disso, desde fevereiro, quando as aulas nem haviam começado e a maioria ainda descansava nas férias, a preparação da Diretoria da Epidemia UEM já estava a todo vapor. O Diretor de Esportes, Leonardo Devico, dividiu conosco um pouco do que aconteceu nos meses pré-Engenharíadas: “a gente não tinha descanso, era todo dia, até mesmo de final de semana, indo atrás de quadras, treinadores e tudo que os atletas precisavam. Foram 6 meses de trabalho sem parar nenhum dia, com a maior satisfação. Tem gente que pensa que é fácil e que as coisas acontecem sem esforço, mas não é não. A gente bate no peito e morre de orgulho de todo esse trabalho ter tido como consequência a conquista da taça e a conquista do nosso OCTACAMPEONATO”.

Para nós, Cheerleaders não foi diferente. Com uma diretoria e um time todo reestruturado, o desafio principal era deixar para trás os fantasmas do EP 2017 e 2018 e honrar os 8 anos de história desse time. Reduzimos a rotina para quatro stunts e enfrentamos de cabeça erguida problemas com local de treino, perda de atletas e apertos financeiros. Três vezes na semana esse time se reunia e dava o seu máximo por amor ao esporte e por amor a atlética. Não foi à toa que conquistamos o TERCEIRO LUGAR, foi por meio de muita luta e esforço de todos os envolvidos. Por estar à frente dessa equipe incrível, digo com a boca cheia que não poderia estar mais orgulhosa. Entramos em quadra com uma vontade enorme de deixar a nossa marca e o resultado não poderia ser outro: uma rotina linda e cravada. Quem presenciou os Cheerleaders Epidemia aquele dia no tatame não irá se esquecer tão cedo e eu tenho certeza de que, graças a esse time, a Competição de Cheerleading do Engenharíadas Paranaense 2019 ficou marcada para cada um que estava presente.

Foto: Engenharíadas Paranaense

Para a bateria, a preparação foi em dobro e contou com um dos maiores desafios já enfrentados em seus 10 anos de história. Pouco antes do desafio do EP, eles participaram de uma seleção para disputar a Pré Seletiva do Balatucada, que nada mais é do que uma das etapas do maior torneio de baterias universitárias do Brasil. Heitor Spada, vice-presidente, conta para a gente que “foram 5 longos meses de trabalho que refletiram não só no torneio em São Paulo, como no Engenharíadas Paranaense. Depois de 3 anos consecutivos longe do pódio do EP, a tão sonhada medalha veio. Além do 3° lugar, conquistamos os estandartes de ouro de tamborim e surdo de marcação, frutos de muito esforço de todos os ritmistas”.

Foto: Engenharíadas Paranaense

Mas peraê, você que é mais antigo de jogos deve lembrar que em 2015 Umuarama também foi sede dos melhores jogos do mundo. Infelizmente, há 4 anos apesar de termos dado o nosso melhor diante de todas as adversidades ocorridas, a UEM não obteve o resultado desejado, mas marcou presença no pódio, conquistando o 3⁰ lugar geral, com uma diferença de apenas 7 pontos para o 1⁰ e 2⁰ colocado. Deixo com vocês a palavra da rainha epidêmica, Thalita Schoffen, ex-presidente do ano de 2015:

“voltar para Umuarama em 2019 foi um misto de saudade e orgulho por ver tudo que a Atlética evoluiu nesses anos que passaram. Orgulho de ver que a Epidemia UEM sempre vai entrar em quadra para ganhar, não importa a distância e nem o adversário. E um orgulho maior ainda por conquistarmos o Campeonato Geral, o 3⁰ lugar do Campeonato de Cheerleading e o 3⁰ lugar no Desafio de Baterias. Pela primeira vez conseguimos os 3 pódios e só quem vive essa rotina louca de treinos, ensaios, organização pré-jogos e C.O., sabe a grandeza e importância que é para uma atlética conseguir todos esses feitos em um único evento.”

Foto: Engenharíadas Paranaense

É galera, o Engenharíadas Paranaense 2019 com certeza ficou marcado para nós da Epidemia UEM. Fica aqui o nosso MUITO OBRIGADO a todos de que de alguma forma contribuíram para mais essas vitórias. E continuamos em frente com muita FORÇA, GARRA e TRADIÇÃO!

UEM conquista o OCTACAMPEONATO no Engenharíadas Paranaense!

Tem Raposa no pódio da primeira divisão do Engenharíadas Paranaense!

“A recompensa está na caminhada”: Bateria Carniceiros vence mais um desafio do Engenharíadas Paranaense!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here