Foto: Jogos Jurídicos Sul

Em 09 de dezembro de 2018, na cidade de Criciúma, 15 atléticas estavam presencialmente ou à distância (impossibilitadas de comparecerem em função da logística), se reunindo em prol de um sonho, o que me dá a ousadia de citar John Lennon: “um sonho que sonhes sozinho é apenas um sonho. Um sonho que sonhes em conjunto com outros é realidade”. Por que esta citação é tão relevante para esse relato? Pela seguinte razão, meus caros: no período de 20 a 23 de junho de 2019, rolou a primeira edição dos Jogos Jurídicos do Sul, na cidade de Passo Fundo!! Dez Atléticas conseguiram participar da competição esportiva durante os 4 dias do feriado.

Neste exato momento, você, leitor, talvez esteja se perguntando se dez atléticas não é um número pequeno. E eu esclareço dizendo que inicialmente, o projeto contava com quinze atléticas, porém, todos nós sabemos como é difícil mobilizar e vender um projeto que se encontra no seu início. Como é difícil convencer o atleta a se deslocar no feriado para outra cidade e, no caso do JJSUL, em outro estado também, onde os atletas sabem que seria frio (mesmo não tendo sido tãoooooooo frio – mentira). Assim, algumas atléticas para esta primeira edição não conseguiram, mas já começaram a se mobilizar para garantir a participação na segunda edição, em 2020.

Foto: Jogos Jurídicos Sul

Tá, mas e aí, como foram os jogos?

Bom, pensem em como foi chegar em Passo Fundo, entre o final da madrugada e o início da manhã, com um frio de seis graus nos esperando. Foi uma loucura, porém o sentimento que pairava nas atléticas que participavam era “já são os jogos, tá acontecendo!”. A cidade era um grande desafio para todos, com ginásios em locais distantes, o que fez com que as atléticas tivessem que se desdobrar para montar as suas logísticas. Por sua vez, os atletas já demonstravam o nervosismo pré-jogo, enquanto os torcedores ansiavam pela integração, empolgados com o clima da competição que já sentiam nos ônibus e nos alojamentos. Mas foi só após o primeiro apito de cada primeira partida que a ficha caiu para as delegações e a imersão nesse universo paralelo chamado JJSUL se iniciou. Jogos na UPF, jogos no SESI, tá, mas e o jogo da AABB, quem ganhou? Quem ganhou a aposta do fardo de ceva? Cadê o bus?  Enfim, teve muito choro, alegria, alento e passamento, como tem que ser.

Ainda assim, a felicidade maior é a de sermos pioneiros ao fomentar um campeonato que envolve mais de um estado no segmento das Atléticas de direito, de saber que por mais trabalhoso e problemático que tenha sido criar e atuar, estávamos fazendo acontecer, superando e resolvendo da melhor maneira possível os problemas e erros que surgiam no meio do caminho. E quanto às arbitrais, reuniões necessárias após cada dia de partida, que ocorria com a presença dos representantes de cada atlética participante, algumas foram curtas, outras longas, algumas cansativas, outras objetivas, tudo depende do ponto de vista que quem esteja analisando. Nestes quatro dias de campeonato, dia após dia, aprendemos, fizemos novas amizades, ganhamos novas rivalidades, rolaram muitas integrações (que é isso que o povo gosta, troféu é secundário) e muita, muita troca de experiência.

Foto: Jogos Jurídicos Sul

E como não falar dos jogos sem lembrar que foi recebido com muito carinho o @viteradj nos quatro dias mais insanos dos jogos, com o famoso “palco Mendo” . Aonde saíram os dois maiores hinos dos jogos “Tanananananananaa dj henrique de Ferraz….” e o óbvio “Solteiro não trai”, versão do Malvabeat 48. Os jogos ofereceram para as maiores atléticas do JJSUL a famosa integração, onde os atletas mais insanos morriam no primeiro, porém rescutiavam no terceiro dia para serem campeões no atletismo e outras modalidades. Nunca se viu tanta animação quanto lá, eram seis universidades com objetivos em comum: jogar para vencer, torcer como nunca e integrar como se fosse competição todo o dia.

As finais foram movimentadas, agitadas, com muita raça e gana empreendidas, com muitas emoções e sentimentos à flor da pele. Do lado de fora das quadras, o público apoiava, torcia e se divertia. Destaque para a final do futsal Masculino, entre Sanatório e Univali. Que final, amigos! Com placar de 4×3, uma final digna de encerramento da primeira edição. Todas as Atléticas no Ginásio Sesi, torcendo para uma ou para outra, acompanhando o placar e aguardando o apito final, pois depois disso, ocorreria a última arbitral, em que seria informada a colocação geral de cada atlética nos Jogos Jurídicos.

Ao término da partida, enquanto os chefes de delegação foram para a arbitral, a torcida, como sempre, mantinha o pique e fazia a integração por meio do pagode promovido pelos guris da UFRGS. Com o término da arbitral, foram reveladas as colocações, houve recontagem dos pontos, como é de direito, e,  enfim tudo certo e anunciado: “DIREITO UFRGS Campeã Geral da Primeira Edição dos Jogos Jurídicos, DIREITO UNIVALI vice-campeã, DIREITO UFSC terceira colocada e DIREITO UFPEL, quarta colocada”.

Foto: Jogos Jurídicos Sul

Tá, mas e aí galera da UFRGS, como foi ser campeã dos jogos?

Gostamos de começar dizendo que a atlética é uma máquina que funciona pela junção e o bom estado de três peças: atletas, gestão e torcida. Sem isso, não vai para frente. Causa um sentimento inenarrável poder gritar “é Campeão”, ver os atletas orgulhosos comemorando, ver a diretoria chorando, ver a torcida vibrando e pulando junto. É uma loucura pensar em todos os problemas ocorridos na fase pré-jogos, em todos os problemas ocorridos durante os jogos e como fomos trabalhando para resolver cada um deles, o que culminou naquele título. Tudo valeu a pena. Vimos muitos atletas jogando mais de uma modalidade, vimos atletas aparecendo como revelações em modalidades que foram apenas para completar times e sendo ovacionados por toda a torcida ao conquistar ou quase conquistar o primeiro lugar. Podemos dizer que esse título foi a superação de uma atlética que, com essas três peças, gestão, torcida e atletas, juntas atingiu o objetivo.

As gurias da UFRGS merecem uma menção especial porque SÃO FODAS PRA KRL! Sem mais e sem menos, são orgulho e exemplo pra todos nós! A Infernizada, apelido carinhoso da torcida do diabão, criou cantos, apoiou em quadra e apoiou fora delas, merecendo o nosso maior obrigado e reconhecimento, “o Diabão, amo você, de Porto Alegre a Passo Fundo pra te ver”. A gestão do direito da UFRGS soube ter paciência e resiliência e, acima de tudo, soube zelar pelos atletas, seja garantindo o transporte nos garupas e ubers de Passo Fundo para não perder representações, seja entrando em quadra nas modalidades como atletas quando precisavam. A vitória é nossa e “Eu sou da UFRGS a maior desse Brasil!”.

Foto: Jogos Jurídicos Sul

Por fim, é importante ressaltar a grandeza de cada uma das atléticas que participaram dos jogos. Cada uma a seu modo, soube se portar e se destacar na competição. O sentimento que ficou é o de que queremos mais, queremos estar reunidos novamente em 2020 para uma nova edição dos Jogos Jurídicos do Sul. Seja para renovar parceiras, seja para acirrar rivalidades saudáveis. A prática desportiva acadêmica das atléticas de direito ganhou um novo marco e nunca mais será a mesma. Até o ano que vem, pessoal. Vai ser grande. Vai ser maior.

Obrigado a todas as atléticas:

  • Associação Atlética Acadêmica da Faculdade de Direito da UFRGS (AAAD/UFRGS);
  • Associação Atlética dos Acadêmicos da Fundação do Ministério Público do Rio Grande do Sul (AAAFMP/FMP);
  • Associação Atlética Acadêmica Joaquim Nabuco (AAAJN/UNESC);
  • Associação Atlética Direito UFSC (AADUFSC/UFSC);
  • Associação Atlética Acadêmica do Direito – IMED (AAADIMED/IMEDPF);
  • Associação Atlética Acadêmica Sanatório (AAAS/UFPEL);
  • Associação Atlética Acadêmica DECCA (AAADECCA/FURG);
  • Associação Atlética Universitária do Direito Professor Antônio Xavier (AAUDAX/UFSM);
  • Associação Atlética Acadêmica de Direito Professor Vilson Sandrini Filho (AAAD UNIVALI);
  • Associação Atlética Acadêmica de Direito de Passo Fundo (AAADUPF/UPF);
  • Associação Atlética Acadêmica de Direito UNISUL (AAADUF/UNISUL FLORIANÓPOLIS);
  • Atlética Acadêmica Roberto Diniz Saut (AARDS/FURB);
  • Associação Atlética Acadêmica Direito CESUSC (AAADC/CESUSC);
  • Associação Atlética Acadêmica de Direito UCS (AAADUCS/UCS);
  • Associação Atlética Acadêmica de Direito Joaçaba (AAADJ/UNOESC);
  • Atlética de Direito In Dubio Pro Hell (ADIN/UNIVILLE)

Quer saber mais sobre o tema? Bora lá:

O que acontece nos jogos universitários?

Como sobreviver a 4 dias de jogos? O Integraê te conta!

Confira os Jogos Universitários do segundo semestre de 2019!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here