Foto: Engenharíadas Paranaense

Assumir um cargo dentro da diretoria de uma Associação Atlética é sempre um desafio…Uma equipe, uma instituição e um curso inteiro (ou mais) vão depender também do seu esforço para andar e crescer. Uma baita responsabilidade, não é?!

Imagina então aquele doido que assume a presidência da Atlética! Esse cara (ou essa mina) vai ser o rosto da AA nas decisões mais importantes que precisarão ser tomadas, dentro ou fora da Universidade; além de ser a assinatura presente na maior parte dos documentos que a Atlética precise firmar. Por trás de toda a pressão que recai sobre os ombros desse cargo está alguém que pode ter sido preparado para tal por algum tempo, ou alguém que foi escolhido sem muuuuito aviso prévio, como foi o meu caso, mas que topou participar dessa por um bem maior: o amor à Atlética!

Durante todo o ano de gestão, a diretoria e o(a) presidente vão se deparar com coisas novas e enfrentar alguns perrengues. A confiança e o trabalho em equipe vão se desenvolver durante esse período, mas aqueles que já presidiram uma AA hão de concordar comigo: tem coisa que só a gente passa! Hoje vocês vão conhecer algumas situações que todo presidente precisa enfrentar durante a gestão da sua Atlética!

1 – A primeira reunião com a nova gestão

O começo do ano de toda gestão é sempre a parte mais difícil. Treinos para marcar, eventos para planejar, dinheiro a ser direcionado. O papel do(a) presidente vai ser (tentar) coordenar tudo isso na primeira reunião com a diretoria, organizando o calendário da Atlética de acordo com os recursos disponíveis. Mas isso não é tarefa fácil!

Foto: AAD UEPG

Na maioria das vezes, a nova gestão vai ser formada por novos rostos, que nunca participaram de uma diretoria antes. A dica é usar da autoridade do cargo pra motivar essa galera! A primeira reunião vai servir para planejar o rascunho das atividades do ano, e também para mostrar para toda a equipe que vocês estão juntos nessa!

2 – O primeiro evento

Bom, depois de meses de planejamento, chega a hora de executar o primeiro evento da gestão! A diretoria se preparou, fez as contas, investiu na divulgação, mas quando o medo bate na porta, não tem quem se salve. A bebida vai ser suficiente? E se acabar no meio na festa? Temos um plano B? A galera vem? CALMA! O nervosismo nessa hora é super normal!!!

O(A) presidente estará por dentro de todos os detalhes da festa e deve passar segurança para sua equipe! Designando funções e tendo todo mundo ciente do que deve fazer, a supervisão tende a ser muito mais tranquila. Mas claro, tenham um plano B! 😉

3 – Os amados jogos universitários!

Caso sua Atlética participe de algum Jogos Universitários Brasil a fora (sdds JJPR seu lindo), a preparação para esses dias de competição e festas é uma das etapas mais difíceis do ano para a diretoria e para o(a) presidente. Todo o planejamento começa meses antes da viagem e envolve venda de pacotes, divulgação de kits, procura de transporte pra delegação, checagem dos alojamentos, mais investimento em treinos e muita, muita dor de cabeça.

Foto: JOIA Oeste

Quando sua galera finalmente chega à cidade-sede dos Jogos, o trabalho oficial realmente começa. E mesmo que a diretoria toda esteja lá, a maioria da delegação irá procurar o rosto do(a) presidente para responder a 83.920 dúvidas durante os dias de Jogos. “Que horas sai o ônibus pro ginásio?”, “Não peguei meu kit ainda, que horas posso pegar?”, “Que horas vamos voltar da festa de hoje?”, “O jogo de basquete é às quatro horas mesmo????”, e por aí vai…

E além de estar atento a tudo que está acontecendo com os seus atletas e torcida, o(a) presidente da Atlética estará ligado com a própria organização do evento, com todas as outras Atléticas e com o desempenho esportivo de todo mundo! UFA! O desgaste físico e emocional é muuuito grande, acreditem!

4 – Lidando com os resultados

Nessa vibe de Jogos, ressalta-se que o(a) presidente de uma Atlética normalmente é aquele que precisa lidar com as consequências dos resultados esportivos em uma competição, principalmente se esses resultados forem negativos. Seja em nível de Jogos Estaduais, Jogos Inter atléticas dentro da sua cidade, ou num amistoso de final de semana.  Ouvir um “me desculpa” da boca de um atleta, logo depois de uma derrota em quadra, foi uma das piores coisas que aconteceram comigo quando fui presidente.

Foto: Engenharíadas Paranaense

Os atletas se frustram, a torcida pode culpar a diretoria, e algumas vezes os próprios diretores da sua gestão podem acabar desmotivados. E no final das contas, cabe ao(à) presidente saber contornar essa situação e se utilizar de uma eventual derrota pra motivar todos ao seu redor, para que aquilo não aconteça novamente. Afinal, o dia a dia de uma Atlética é feito disso, altos e baixos, vitórias e derrotas. Mas quando toda a gestão está em sintonia com o objetivo final, tudo fica mais fácil!

Viram só?! Estar à frente da diretoria de uma Atlética, seja ela grande ou pequena, não é tarefa fácil! Essas pessoas vivenciam muita renúncia, muita crítica e as vezes até falta de reconhecimento. Um diretor ou um(a) presidente de Atlética não ganha salário pra fazer o trabalho que faz, faz tudo por amor à sua instituição. E apesar de todos esses perrengues que foram listados, o trabalho vale a pena e é feito com muita boa vontade, pois o objetivo maior é ver a sua querida Atlética crescendo, sempre!

Quer saber mais sobre o tema? Bora lá:

Cargos de diretoria e suas funções!

Como lidar com diretoria que não soma!

5 tipos de diretores que todas as atléticas têm (e como lidar com eles)!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here