Foto: Engenharíadas Paranaense

E ai fakes! Tenho certeza que leram o titulo da matéria e se perguntaram: “Ainda dá tempo? Como fazer?” Pois acredite, ainda dá tempo! O Integraê conversou com três atléticas destaques em modalidades individuais e trouxe um pouco da experiência delas para ajudar você e sua atlética a alavancar!

Neste pré-jogos, quem não gosta de assunto polêmico não é mesmo? Sempre tem aquela modalidade que preocupa e, na maioria das vezes, os esportes individuais são protagonistas nesse assunto, ou você nunca ouviu a frase: “INDIVIDUAIS GANHAM JOGOS!”. Será que ganham mesmo? Pois eu te digo que elas são extremamente importantes para um bom desempenho no geral, colaborando e muito com a pontuação final!

Mas por que as vezes elas ficam tão esquecidas e se tornam ‘pedras no sapato’ de algumas atléticas? Falta de preparação? Falta de atletas? Investimento? Acreditem, as razões são inúmeras, diferentes para cada realidade financeira e também forma de trabalho da gestão que está a frente da AAA. Mas, por mais que existam percalços no meio do caminho, no fim, todas as AAA’s, independente de terem atletas para as modalidades ou de terem tido treinos para tais, participam de tudo e tentam pontos preciosos numa disputa para não cair de divisão, ou até mesmo na briga pelos lugares mais altos do pódio!

Foto: Engenharíadas Paranaense

O constante crescimento em uma modalidade individual, é totalmente diferente de uma modalidade coletiva e foi sobre isso que o Leonardo Zappa, da Atlética C7 (UFPR) nos contou, e ainda dividiu com a galera como eles resolveram o problema por lá:

Sempre fomos fortes nas modalidades coletivas, mas sofremos por não possuirmos equipes consistentes nos esportes individuais. Para tratarmos esse problema, investimos em técnicos para todas nossas modalidades, bem como quadras além das disponíveis em nossa universidade para garantir o melhor preparo possível. Ainda, criamos campeonatos próprios para o atletismo (1ª edição 2017), o tênis de mesa e o xadrez (1ª edição para ambas em 2018) após verificarmos que não havia competições de nível universitário suficientes para que pudéssemos manter o ritmo competitivo de nossos atletas. Como resultado, este ano estamos levando equipes completas para modalidades que antes sempre ficavam defasadas e dependentes de poucos atletas chave”.

Foto: Engenharíadas Paranaense

Ih, já vimos que o Engenharíadas Paranaense 2019 vem quente, não é mesmo? Agora, como será que atléticas menores se organizam e lutam entre as grandes? Foi um pouco do que o Matheus Cielo, da Atlética de Engenharia Unioeste Td/Mcr (Bisão), dividiu conosco:

“Sabemos que as modalidades individuais decidem os jogos, desde um pódio até pra escapar da queda pra 2ª Divisão e também sabemos que os preparativos para tais devem ser diferenciados, por isso, conversamos muito com os atletas e damos todo o apoio possível. Se preparar fisicamente e mentalmente é imprescindível pra conquistar aquele pontinho sagrado, e diante disso oferecemos os materiais e locais necessários pra cada atleta colocar suas habilidades em prática e poder treinar pra chegar voando no EP. Buscamos também alguns profissionais para passar técnicas e experiências para os atletas a fim de contribuir ‘na hora H’. É gratificante ter uma equipe sólida e companheira em busca de um objetivo, como aconteceu no engenharíadas em 2017 na cidade de Cascavel, onde o nosso atletismo sagrou-se campeão geral”.

Foto: Engenharíadas Paranaense

Investimentos, procura de técnicos e muito treino, parece ser a receita perfeita não é mesmo? Mas como será que a heptacampeã Epidemia faz sua preparação? Para matar essa curiosidade e também entender como é feito por lá, o Leonardo Devico, da Atlética Engenharia e Arquitetura UEM (Epidemia), integrou e contou tudinho pra nós, confere ai:

“Aqui na Epidemia a preparação e expectativas para uma modalidade individual começam até mesmo antes de um acadêmico passar no vestibular. O nível que essas modalidades alcançaram nos jogos universitários é tão elevado que existe uma torcida e apoio aos atletas para a aprovação no vestibular e assim compor as equipes na AA. Sou suspeito para falar, pois, além de diretor de esportes sou atleta da natação, mas a atenção pelas individuais é diferente, pois além de serem totalmente decisivas no resultado dos jogos, são extremamente competitivas. No que diz respeito aos treinos, geralmente iniciam antes das aulas começarem e aproximando as competições, aumentam em frequência e intensidade. Além disso o contato com os técnicos é frequente e cauteloso, para que tudo seja feito para alcançar os melhores resultados possíveis. Desta maneira, as individuais sempre dão ótimos resultados e têm uma expressiva participação na conquista das estrelas”.

Foto: Engenharíadas Paranaense

Não tem segredo, muita dedicação e esforço sempre são recompensados! Faltando poucos dias, ainda é possível! O importante é nunca desistir, correr atrás e focar! As modalidades individuais, apesar de às vezes não terem tanta visibilidade dentro de uma atlética, quando levadas a sério e com comprometimento, rendem bons frutos!

Bom jogos a todas às atléticas! <3

Quer saber mais sobre o tema? Bora lá:

As modalidades mais promissoras para os jogos!

Modalidades individuais: o peso que elas têm dentro dos jogos universitários!

A importância dos cuidados com os atletas durante competições esportivas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here