Foto: Universipraia 2019

Pra quem acha que o Universipraia – popularmente conhecido como “A maior loucura universitária do sul do Brasil” se resume a festa, pegação e praia, tá um pouco enganado e eu posso afirmar com clareza que tem muuuita gente “correndo por fora” e tentando o seu lugar ao sol (literalmente!) nas quadras de areia da Praia do Mar Grosso em Laguna – SC.

O porquê de isso acontecer será explicadíssimo nesta super matéria que vos salta aos olhos. Não deixa de acompanhar!!!

Vamos lá: ocorre que esse famoso evento conta com uma competição esportiva bem desenvolvida e antigadisputada desde 2011 – possuindo atualmente duas divisões: Acesso e Especial – ou Principal, contando com 5 esportes em seu quadro de modalidades, disputados nos naipes Masculino e Feminino, são eles: Futebol de Areia, Futevôlei, Handebol de Areia, Rúgbi de Areia e Vôlei de Praia (cabe salientar que o Rúgbi e o Futevôlei são disputados exclusivamente na Divisão Especial da Liga) e sendo organizada por uma Comissão Organizadora (C.O.) das Atléticas junto de um departamento específico da Empresa VOE Ideiassiiim, a mesma que faz toda a mágica acontecer para que o Uni exista.

Foto: Congresso Técnico pré-Universipraia

Então tá, pra detalhar um pouquinho mais do processo de construção anual da Liga Esportiva do Universipraia, eu conversei com o Christian Piva, oriundo da Atlética ESPM e que já é há algum tempo um dos contratados da VOE para a realização dos Jogos. Confere só o que ele falou sobre esse trabalho:

“A preparação da competição já se inicia na semana seguinte ao evento do ano anterior acontecer. Nesse momento, recolhemos todos os feedbacks de atléticas, das reuniões ocorridas, dos demais funcionários envolvidos na parte esportiva ou não, e fizemos uma reunião para analisar todas as informações e já começar a pensar nas melhorias da edição seguinte. Depois temos algumas reuniões com as Atléticas da Comissão organizadora, em janeiro e março do ano da competição, quando trazemos o compilado de informações colhidas e as sugestões da Agência para atender as demandas a fim de ouvir a opinião de todos envolvidos. Da mesma forma, já damos início ao estudo de atrações, pois essa negociação é, na sua grande maioria, necessária fechar no primeiro semestre, no mais tardar Abril. Creio que esses três momentos sejam cruciais para uma entrega de qualidade do evento esportivo. Depois desses momentos, há pelo menos mais uma reunião com a comissão organizadora, um momento com as Atléticas interessadas em competir na divisão de acesso e um congresso técnico com todas participantes. Fora esses momentos de encontro, as conversas por Whatsapp, E-mail e Skype seguem dia a dia quando surgem ideias ou problemas a serem resolvidos. ”

Tá vendo… tem um pessoal aí que dá muuuito duro pro evento esportivo ocorrer da melhor maneira possível. Bom, e o que falar da última edição da Liga Uni (novembro de 2019)? Podemos resumir a um adjetivo: Fantástica!

E pra tentar transpor em palavras esse feeling que ‘só quem vive sabe’, chamei o Árthur Lopes, um dos caras que faz a AAAE Furg há muitos anos ser uma das Atléticas expoentes da Liga, e no momento atual Bicampeã da mesma (ano de 2019).

Árthur, sendo um dos membros mais antigos da Gestão da AAAE Furg, o que te motivou a acreditar que era possível alcançar o bicampeonato da Divisão Principal no Universipraia 2019?

“Após o nosso primeiro Campeonato, em 2016, não saímos do pódio em nenhuma edição, ficando em 2° Lugar em 2017 e 3° Lugar em 2018. Sempre contamos com excelentes Atletas e conhecemos o nível da competição, que vem crescendo a cada ano. Após nossos treinos visando o Uni, que foram bem intensos, analisando nossos times após a perda de atletas, inevitável em todo processo pré-campeonato, nos reunimos e sabíamos que era uma realidade a briga pelo caneco. Todo Atleta viajou consciente do nosso objetivo e focado nas partidas, que resultou no BiCampeonato do Universipraia.”

Foto: Atlética das Engenharias – FURG e seus membros comemorando o bicampeonato da Liga Universipraia 2019.

Lembrando também que a Atlética das Engenharias – FURG, oriunda de Rio Grande – RS, foi também Tetracampeã do Handebol de Areia em 2019 e ele (que também é capitão do time) falou um pouquinho sobre o diferencial de sua equipe:

“Acredito que o diferencial seja que o time é formado por amigos, parceiros, que sabem fazer churrasco e beber juntos, mas que principalmente na hora de jogar, quando precisamos da vitória naquele jogo, somos unidos e conseguimos transformar tudo que treinamos juntos em resultado.”

Foto: Hegemonia da AAAE Furg no Handebol de Areia – 4º título seguido da gurizada. (Foto por: Lucas Trindade)

É, galeeeera. O Uni, pra quem tá acompanhando o texto não é só festa, não… O pessoal pega a bronca dos esportes sob condições climáticas adversas (como o calor intenso e o forte vento) e ‘faz do limão uma limonada’.

Além disso, explicando pra quem não sabe, com maiores detalhes, sobre o funcionamento das Divisões Esportivas do Uni, temos normalmente 16 Atléticas disputando a Divisão Especial – ou Principal (uma espécie de série A do Brasileirão) e 8 ou 6dependendo da edição – competindo a Divisão de Acesso (uma espécie de série B do Brasileirão), onde as Atléticas que se colocarem melhor no Acesso têm o direito de disputar a Especial no ano seguinte, assim como as piores colocadas na Especial caem à Divisão de Acesso.

E, pra falar da emoção de disputar e ganhar a Divisão de Acesso do Uni em 2019, chamei o Iago Zilio, que na época era presidente da Atlética campeã dessa competição: os Tigres, de Porto Alegre – RS, pra dar uma palavrinha sobre essa sensação:

“Não existe outra palavra que defina melhor o sentimento da AAAPE que orgulho. A gente sabe o quanto nos dedicamos desde o início do ano para propor uma vida acadêmica mais leve, saudável e divertida pros nossos alunos e eu acho que eles conseguiram ver isso de tal forma que, a retribuição deles sempre foi muito empenho e dedicação.  A gente falou que mereceu estar onde está pelo trabalho, o ano de 2019 dos Tigres é motivo de orgulho pra todos da gestão, pois nele aprendemos que não há vitória sem sacrifícios, a gente que é gestão sabe, temos que abrir mão de muita coisa pra obter resultados positivos. ”

 A história recente da Atlética Tigres, que é muito nova nesse mundo, conta com uma participação não exitosa na Liga Universipraia em 2018 e o Iago também falou um pouco sobre o comeback que eles deram, elegendo um elemento primordial para essa volta por cima, confere aqui:

Foto: A grande campeã da Divisão de Acesso Atlética Tigres e seus membros posam para a foto com as premiações. (Foto por: Pedro Vieira)

“Humildade, o primeiro passo pra dar a volta por cima foi ter humildade pra reconhecer os erros de 2018. Depois disso, com o empenho de todos da Gestão, conseguimos fazer uma espécie de mapa estratégico e seguir um plano para corrigir os erros de 2018 e organizar de forma efetiva todo esportivo do uni 2019, desde ônibus somente para atletas, horário de volta das festas, termos de compromisso, tudo que os atletas podiam ter de suporte eles tiveram, pra quero resultado viesse dentro de quadra.”

Tá sabendo bastante já, né??? Calma aí que tem mais! E é conteúdo importante: já muito famoso fora das quadras do Universipraia, temos o Futebol de Areia, modalidade muito disputada no mundo – e ali dentro da Arena não é diferente – tida por todos os presentes do evento como o esporte mais disputado e importante, chamei um atleta pra passar um pouco da sensação de como é ganhar o Futebol no Uni. Com a palavra Juliano Manfro, craque da Bicampeã do Fut da Divisão Principal – Atlética Sanatório, do Direito da UFPel:

“Sensação de dever cumprido, visto que a nossa equipe estava defendendo o título e chegava pro campeonato de 2019 sendo uma das Atléticas favoritas a ser campeã! Não tivemos nenhum jogo fácil, sendo todos decididos no detalhe, o que fez com que o bicampeonato fosse ainda mais valorizado tanto pelo nosso time quanto pela nossa torcida!”

Foto: Comemoração do bicampeonato da Atlética Sanatório no Futebol de Areia Masculino.

E é mais ou menos assim que a Liga Esportiva da Maior Loucura Universitáriaque se denomina Universipraia – VIVE, sob muito sol, fortes ventos, empolgação das torcidas, suor dos atletas e empenho da CO e da VOE Ideias para proporcionar o melhor cenário possível para que as coisas ocorram como o planejado para as Atléticas.

Pra fechar a matéria dá uma olhada na Classificação Geral da Liga Uni 2k20:

Divisão Especial:

(os 3 últimos caem para o Acesso)

1º Atléticas das Engenharias – FURG (Rio Grande – RS)

2º Atlética das Engenharias – UFRGS (Porto Alegre – RS)

3º Atlética ADM UFSC (Florianópolis – SC)

4º Atlética Sanatório  – Direito UFPel (Pelotas – RS)

5º Atlética Advogados do Diabo – Direito UFRGS (Porto Alegre – RS)

6º Atlética A3CO – ESEFID UFRGS (Porto Alegre – RS)

7º Atlética CCT – UDESC (Joinville – SC)

8º Atlética ESPM (Porto Alegre – RS)

9º Atlética ATEC – UFSC (Florianópolis – SC)

10º Atlética ATM – UFSC (Florianópolis – SC)

11º Atletica ATEQA – UFSC (Florianópolis – SC)

12º Atlética CERES (Laguna – SC)

13º Atlética ADM UFRGS – Guaxa (Porto Alegre – RS)

14º Atlética A7 – UFSC (Florianópolis – SC)

15º Atlética General – UCS (Caxias do Sul – RS)  

16º Atletica UNISC (Santa Cruz do Sul – RS)

Divisão de Acesso:

(os 3 primeiros sobem para a Divisão Especial)

1º Atlética Tigres – PUC (Porto Alegre – RS)

2º Atlética das Engenharias – UPF (Passo Fundo – RS)

3º Atlética Medicina UFSC (Florianópolis – SC)

4º Atlética Agronomia (Pelotas – RS)

5º Atlética CEFID – UDESC (Florianópolis – SC)

6º Atlética ESAG (Florianópolis – SC)

Quer saber mais sobre o assunto? Bora lá!

Saiba como foi o Desafio de Baterias do #VEMPROUNI!

#VEMPROUNI: O maior jogos universitário do Sul do Brasil!

2020: Conheça a expectativa dos Presidentes das Ligas de Jogos Universitários!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here