Foto: JOIA Fronteira 2018

Aproveitando a semana pós 7 de setembro, hoje vim falar pra vocês sobre um dos Jogos que rolou no feriado: o JOIA Fronteira!

Em 2014, na cidade de Foz do Iguaçu, devido à falta do JOIA Oeste naquele ano, três atléticas – Rino (2014), Preguiça (2007) e Porco (2009) – tiveram a ideia e executaram uma espécie de amistoso das 5 modalidades coletivas. Por ser inspirado no JOIA Oeste e por serem atléticas da Fronteira, o nome explica sua história.

Foto: Comissão Organizadora JOIA Fronteira 2018

Acontece que de 2015 a 2016, rolou na fronteira um processo de surgimento/recriação de muitas atléticas. Foram mais de 8 fundações, e algumas atléticas, como Engenharias e Arquitetura Unila (2012) e Medicina Unila (2014), que já eram um pouco mais experientes, começaram a conquistar o seu espaço. Exemplos de grandes fundações que estão na Liga das Atléticas da Fronteira (LAF) são as Atléticas: Direito Unifoz (2016), Engenharias e Arquitetura UDC (que nasceu em 2011, mas passou por dificuldades até 2013 e voltou a brilhar em 2015), Uniamérica (fundada em 2016 como atlética de engenharias e desde o ano passado vem unindo um campus inteiro), Direito UDC (2017) e Medicina Uninter (2017).

Fora da LAF ainda temos a Cesufoz (2017), Biológicas Unila (2016), Contábeis e Adm Unioeste (2017), Medicina UPAP (2017) e várias outras Atléticas recém formadas, revelando que o JOIA Fronteira tem um potencial gigante pra crescer cada vez mais!

Nesse mesmo período, rolou mais um fenômeno peculiar da fronteira: as medicinas do Paraguai! Só na região que faz divisa com Foz, temos mais de 5 instituições de ensino. Com elas, vieram atléticas fortíssimas, com delegações enormes.

Foto: JOIA Fronteira 2018

Será que a nossa Tríplice Fronteira tá virando uma região universitária e um polo de Atléticas? De fato, o esporte tem crescido na cidade como um todo, existe um esforço bem grande da secretaria de esportes para melhorar nesse aspecto, um exemplo disso são as reformas dos ginásios locais.

O mais legal/difícil do JOIA Fronteira é que a cidade-sede todo ano é a mesma. Legal porque como a relação da Liga com a cidade é mantida com frequência, tende a ser mais proveitosa e íntima. É difícil porque diferente de outras Ligas, a LAF não tem outras opções! Se algum dia os Jogos prejudicarem a fronteira e a cidade decidir não receber o JOIA, não tem mais Jogos. Isso faz com que tudo e todos sejam 4 vezes mais cuidadosos: lixos são fiscalizados com muito rigor, barulho, respeito às restrições de cada ginásio municipal, seguranças por toda parte. Tudo é cuidado com muito carinho e atenção!

Foto: JOIA Fronteira 2018

As 22 modalidades coletivas e individuais demonstram que o crescimento do JOIA Fronteira é nítido, tanto em nível esportivo e em delegação, quanto em organização. As festas de 2017 e 2018 já trouxeram DJ Yuri Martins, MC 2K, Bonde do Tigrão e a edição de 2018 teve até Desafio de Baterias!! 

Classificação geral Desafio de Baterias:

1º – H1N1 

2º – Contra Bando

3º – Comando Oeste

4º – Fúria Latina

5º – Quatinguelê

6º – Loucatéia

7º – Trombatuque

Foto: JOIA Fronteira 2018

A classificação final do JOIA FRONTEIRA foi: 1º lugar Atlética de Engenharia UTFPR Medianeira, que já trazia um combo do título da edição passada com o título do JOIA Oeste 2017; 2º lugar Engenharia e Arquitetura UDC, pela segunda vez merecidíssimo e 3º lugar Uniamérica, que deu um show de talentos mostrando toda sua evolução e crescimento dentro e fora das quadras.

Reprodução: JOIA Fronteira

1º – Atlética de Engenharia UTFPR Medianeira

2º – Atlética XV de Abril UDC

3º – Associação Atlética Acadêmica da Uniamérica

4º – Atlética de Direito Unifoz

5º – Atlética Engenharia – Unioste FOZ

6º – Atlética de Direito da Unioste

7º – Atléticas Engenharias e Arquiteturas – UNILA

8º – Associação Atlética Acadêmica Luis Fernando Zarpelon – Medicina Unila

9º – Atlética de Direito UDC

10º – Atlética Medicina Uninter

Quer saber mais sobre o tema? Bora lá:

Como é a organização esportiva durante os jogos?

Atlética Ardilosa é a grande campeã do TACA 2018

Uma cidade pequena; uma Atlética grande: o retorno da XVIII de Março ao pódio do EP!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here