Foto: Associação Atlética de Engenharia da UTFPR Toledo

Ano novo, gestão nova! É assim que algumas atléticas irão começar 2019! Certamente você já ouviu falar das trocas de gestões de algumas associações e também já se perguntou como acontece, por isso fomos descobrir com três diferentes AAA’s e vamos te contar tudo agorinha!

Uma atlética que gera curiosidade é a Preguiça Insana (Associação Atlética Acadêmica de Direito da Unioeste), que contempla três cidades diferentes! Como será que o pessoal se organiza por lá? Bora saber? O João Victor de Freitas Gouveia, que é o diretor financeiro (tesoureiro) nos contou tudinho, confere ai:

A nossa atlética é composta por três campus, Marechal Cândido Rondon – que fundou a atlética -, Francisco Beltrão que integrou logo em seguida e, por fim, o campus de Foz do Iguaçu. Cada campus possui uma diretoria interna, composta de vários diretores, entretanto, para que sejam resolvidas questões que envolvem toda a atlética em si é necessária uma diretoria geral, que é composta por diretores de cada campus. Todo ano realiza-se eleição de chapa, que contém um presidente, um vice-presidente e um tesoureiro. Cada ano um campus é responsável pela presidência, ou seja, os câmpus intercalam-se nas funções, existindo uma rotação nos cargos. Os demais integrantes da diretoria geral (diretores de marketing, relações públicas, logística, etc) são escolhidos por cada diretor responsável de campus que representa a diretoria local. No corrente ano, a presidência geral pertencia a Foz do Iguaçu, a vice-presidência a Beltrão e Tesouraria a Mal. Cândido Rondon. Em 2019, a presidência passará para Francisco Beltrão, vice-presidência para Mal. Cândido Rondon e tesouraria para Foz, após eleição geral realizada nos 3 câmpus”.

Foto: Associação Atlética Acadêmica de Direito da Unioeste

Outra atlética que gera curiosidade é a Epidemia (Atlética Engenharia e Arquitetura UEM), como será que é feito por lá? O Matheus Batista, ex-presidente e atual vice-presidente, nos contou em detalhes, segue aí:

Nosso processo de troca de gestão passou por várias mudanças no decorrer de nossa história, desde datas à estrutura. Inicialmente a gestão era renovada no meio do ano, realizada votação por cargos e até votação por chapas. Atualmente o processo se faz por indicação dos cargos, e vimos nisso um fator muito interessante e benéfico para gestão que assume, pois percebemos que ao longo de campanhas acabávamos perdendo muitas pessoas importantes na atlética, pessoas totalmente capacitadas para ajudar nos trabalhos, mas que acabavam criando uma certa infelicidade ao não ganhar a disputa .

Mas diz ai Batista, como funciona essa troca e essa indicação?

A troca funciona da seguinte maneira: durante o ano pessoas são preparadas para assumir o futuro da atlética, conhecendo todos os processos que um diretor é responsável, fazendo com que ao final da gestão diversas possibilidades para escolha dos sucessores sejam abertas, assim para todos os cargos o responsável atual escolhe seu sucessor. Claro que isso não é um método exato e que sempre funciona, como todo processo de renovação esse também passa por variações. Muitas vezes a pessoa que foi treinada e seria a próxima a assumir, não corresponde ao esperado, ou alguém corresponde mais do que ela, por esse motivo as trocas também podem ser problemáticas, já que quem foi direcionado o ano inteiro cria uma expectativa que as vezes não é correspondida. Passamos por várias experiências e apesar de todos os fatores negativos, a troca de gestão por indicação é a que perdurou por mais tempo, vemos sempre uma diretoria grande e totalmente capaz de fazer todo o necessário para o sucesso da AAAEUEM”.

Foto: Atlética Engenharia e Arquitetura UEM

E ainda a Raposa (Atlética de Engenharias da UTFPR Toledo), nos contou como funciona por lá! O Matheus Fajardo Bortoli, atual presidente dividiu conosco, confere ai: 

O processo de troca de gestão na nossa Atlética sofreu algumas alterações durante os 7 anos de Raposa. No início, após os fundadores terem criado a Atlética, as gestões eram de 2 anos, onde ao final desse período era aberto edital em que acadêmicos podiam se candidatar à próxima gestão. E no final de 2016, houve uma mudança do período de atuação da gestão de 2 para 1 ano. O processo nunca se alterou: os acadêmicos podem montar chapas com Diretor Presidente, Diretor Vice-Presidente e Diretor Financeiro. O processo de inscrição da chapa sempre é de 10 dias, seguidos de 20 dias de campanha. Nesse período, quando há mais de uma chapa concorrendo, é necessário a realização de Debate entre Chapas. E, ao final dos 30 dias de processo eleitoral, é realizado a votação, a fim de se eleger a próxima gestão. Com os 3 diretores eleitos, estes, nomeiam os demais diretores que trabalham juntamente no ano da gestão”.

Então é isso galera, três atléticas diferentes e três métodos diferentes para a troca de gestões! O melhor? Não tem! Todos são receitas para o sucesso, basta você saber reconhecer o que mais funciona pra sua galera! Tenho certeza que independente da maneira como é realizada essa troca, o que realmente é bom é ter pessoas apaixonadas por esse mundo e que estão dispostas a abdicar muitas vezes de interesses pessoais para o bem de todos da delegação.

Na sua atlética é diferente? Quer contar como é feito? Entra em contato comigo e vamos dividir com a galera!

Quer saber mais sobre o tema? Bora lá:

A chave para sua atlética ter sucesso nas Ligas!

Gestão de pessoas dentro das Atléticas: como gerir com sucesso

O sucesso da sua atlética está no (a)…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here