Foto: @empoderamama13

Descobrir durante o primeiro ano da faculdade que estava grávida não foi uma coisa fácil, mas aprender a lidar com tudo isso e ainda ter uma pessoinha te dando amor é de longe a melhor coisa que poderia ter acontecido. Meu nome é Ana, tenho 23 anos, curso secretariado executivo trilingue, sou diretora de ações sociais na A.A.A XI de Setembro, aspirante a ritmista na Badelírio, mãe da Rafaela de 1 ano e 2 meses e to aqui pra provar pra todos vocês que é sim possível aproveitar o período da facul da melhor maneira mesmo sendo mamãe.

Bom, a aceitação é uma coisa difícil eu mesma tinha vários preconceitos, não queria assumir a gravidez e achava que as festas e os roles com os amigos acabariam tirando o fato de que, na minha cabeça meus amigos se afastariam porque não iriam querer uma criança por perto mas sabe o que aconteceu? Eu ganhei mais amigos quando soube que seria mãe.

Contar pra família é sem duvidas a parte mais difícil mas do mesmo jeito que precisamos de um tempo pra aceitar essa nova realidade nossos país também precisam e por mais duro que sejam os sermões isso tudo passa e depois você descobre que sua família te ama muito mais do que você pensa e eles estarão ali para ser sua maior força. Meus pais me ajudam muito com a Rafa e é graças a eles que eu consigo ter a minha vida de antes misturada com a vida nova, sendo mãe.

Os amigos nessa fase são os que dão aquele gás pra encarar toda a situação e os desafios, desde a descoberta que seria mãe eu tinha medo dos meus amigos se afastarem ou não aceitarem o fato de que agora teria uma criança comigo. O fato é que, quem for seu amigo de verdade vai AMAR essa sua nova fase, e foi assim que eu descobri que a Rafaela teria os melhores tios e mais babões também. Eu confesso que tinha ate receio de sair com a bebê e atrapalhar ou incomodar pelo fato da neném chorar, mas quem realmente me convenceu a sair de casa foram meus amigos. É incrível você descobrir que as pessoas que você ama também amam sua filha até mais do que amam você ahahahaha e levar a Rafa pra visitar os tios é risada certa e momentos incríveis.

A faculdade, a atlética e a bateria são outros grandes desafios e é ai que entra a ajuda dos pais! Dá sim pra estudar se você tem quem te ajude a cuidar do bebê, mas não se acomode, o filho é seu e a responsabilidade é sua! As reuniões de atlética passaram a ser via skype principalmente por na maioria das vezes elas serem tarde da noite, mas nos dias em que é possível ir pessoalmente é demais porque a galera realmente fica animada em te ver e matar a saudade. Os ensaios da bateria por serem mais cedo dá pra levar a Rafa é tudo uma questão de adaptação: os amigos ajudam nessa parte também porque ficam brincando com ela enquanto eu ensaio. Se você quer mesmo fazer parte disso tudo as pessoas vão entender que você precisa ter seu bebê junto e vão se aproveitar disso. A RAFINHA AMA FAZER BAGUNÇA NOS ENSAIOS E OS TITIOS FICAM BABANDO, JURO!

Eu acho que a questão maior é fugir do comum, sua rotina não para! Porém, você adapta ela a uma pessoinha menor e, claro, tem certas coisas que não são possíveis e alguns lugares que é impossível levar um bebê. Mesmo assim, é preciso parar de achar que não dá, porque dá sim! Se você aceitar, todo mundo vai te ajudar com isso, eu garanto! Tanto eu, quanto o pai da minha filha somos parte da atlética e gostamos de jogos, então nada mais justo que incluir nossa filha no meio. Inclusive, levamos ela com a roupinha de mascote da nossa atlética durante alguns jogos do JOIA e ela mesmo pequena adorou ver um monte de gente e é claro que todo mundo pirou em ver um neném vestido de tigre lá no meio HAHA Cuidamos dela com todo amor e atenção e eu continuo sim colocando ela na minha rotina antiga, porém adaptada. RAFINHA JOIOU SIM HAHAHA

Por fim, as baladas… alguns vão te julgar por sair a noite mesmo sendo mãe e eu te falo: NÃO LIGA! Sério, existe muita gente cabeça fechada e isso não faz de você uma péssima mãe, faz de você uma pessoa como outra qualquer. A rotina de trabalhar, estudar, levar filha pra escola, dar banho, brincar, corre pro ensaio da bateria, colocar neném pra dormir, reunião de atlética, etc. CANSA MUITO e é totalmente necessário um dayoff  pra você cuidar de você mesma, sair com os amigos, dançar, tomar uma, o que for do seu agrado e é nessa parte que meus pais me ajudam muito cuidando da minha filha, pra que eu consiga soltar um pouco todo o cansaço semanal. O melhor disso tudo é que você aprende a valorizar muito mais a companhia dos amigos e o rolê que você vai! É possível beber e dançar até se acabar, porém, sempre tendo a consciência de que tem uma pessoinha em casa te esperando e que você vai ter que cuidar dela depois, RESPONSABILIDADE ACIMA DE TUDO.

Eu tenho descoberto minha melhor versão sendo mãe durante esse período acadêmico, então se você está lendo isto e por acaso passando pelo mesmo, confie em mim vai dar tudo certo! Você é a capaz de ser uma mãe excelente e ainda assim curtir o melhor da juventude, das festas e dos jogos, a palavra pra isso tudo isso é ADAPTAÇÃO.

Se quiser acompanhar um pouco da minha rotina também e ver como eu tento lidar com isso é só seguir o insta @empoderamama13, página na qual eu posto tudo o que acontece na minha vida e da Rafinha. <3

MULHERES MOSTREM O QUÃO CAPAZ VOCÊS SÃO DE FAZER TUDO O QUE QUEREM LEVANDO JUNTO UM BEBÊ NO COLO. Eu acredito que é possível SIM! MOSTREM SUA FORÇA.

Quer saber mais sobre o tema? Bora lá:

Qual tipo de mãe é a sua quando o assunto é Atlética?

Mulheres que marcaram a gestão de suas Atléticas

Mulheres que fizeram a diferença na UEPG

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here