Foto: Esparta Cheerleading

Criar, manter e desenvolver uma Atlética é um processo que exige tempo, dedicação, amor e dinheiro – muito dinheiro. Todos os aspectos de uma AAA exigem o investimento financeiro, desde o âmbito burocrático e administrativo até os aspectos mais práticos, como a compra de materiais esportivos e pagamento de técnicos.

Por envolver investimento financeiro, o crescimento esportivo está diretamente ligado à boa administração financeira realizada pelo núcleo competente, bem como das ações de levantamento de dinheiro realizadas pela diretoria. Entretanto, por mais que a gestão financeira seja exemplar, cada equipe de uma Atlética possui suas particularidades e necessidades, o que acaba por gerar uma situação que pode ser um marco importante no desenvolvimento do trabalho em equipe e amor pela camisa: a equipe pode se unir, despender esforços e buscar a excelência dentro de sua AAA.

Nos deparamos, portanto, com a possibilidade da efetivação de ações financeiras realizadas de maneira independente pelas equipes de uma atlética. Já sabemos que a questão do dinheiro é importante, mas quais as demais implicações dessa ação? Como realizar um levantamento financeiro responsável e que não prejudique a associação? Calma, pequeno gafanhoto! O Integraê vai ensinar tudo pra você!

Foto: Bateria Esparteria

Primeiramente, a equipe que decidir realizar ações financeiras deve se dirigir à diretoria de sua atlética e pedir permissão, bem como definir a melhor data e maneira de realizar tal ação. Ora, de nada adianta uma equipe conseguir arrecadar grande quantidade de dinheiro e acabar prejudicando sua própria AAA durante este processo. Por isso, a equipe e o núcleo financeiro da associação devem realizar um acordo e deixar todos os pontos da arrecadação da maneira mais clara possível: definição de datas, maneira de arrecadação, possibilidade de retenção de uma parcela pela atlética, entre outros pontos que ambas as partes considerarem importantes.

Em seguida, o foco deve ser a equipe: qual ação financeira as pessoas de seu grupo estão dispostas a realizar? Dentre todas as possibilidades – como venda de alimentos na Universidade, realização de “caixinha” mensal entre os membros, parceria com comércios locais para captação de patrocínios – os responsáveis pela equipe, bem como os membros em geral, devem decidir qual ação será realizada.

Ora, o ponto chave de todo o processo de captação financeira é o trabalho em equipe, desta forma, todos os membros devem estar em consonância, para que a dedicação seja máxima.

Como qualquer ação que envolva dinheiro, este levantamento independente exige muita responsabilidade e organização. Portanto, é extremamente recomendado que seja definido um grupo responsável pela organização de um parecer financeiro.

Com isso, recomendamos que você, caso seja escolhido como um dos responsáveis, desenvolva uma tabela financeira da equipe, que deverá conter todo valor que seja levantado pela equipe, os itens que exigirão gastos – a compra de materiais, pagamento de técnicos, compra de uniformes, entre outros – e o balanço deste caixa. Desta forma, todo este processo será pautado pela transparência e pelo aumento da confiança interna na equipe!

Por fim, todo este processo de companheirismo, trabalho em equipe, confiança e esforço dedicado a um objetivo irá gerar uma consequência única: a aproximação dos membros e o amor à camisa irá aumentar de maneira exponencial! Ora, se uma equipe irá dedicar seu tempo extra para arrecadar dinheiro objetivando uma melhoria nos treinamentos ou a viabilização de participação em um campeonato, a dedicação nos treinos e o companheirismo da equipe será diretamente afetado – de maneira extremamente única e positiva!

Foto: Bateria Esparteria

Leticia Vilela, diretora de Cheerleading e Bateria da Atlética do Direito UFV, juntamente com suas assessoras Júlia Mansueto, responsável equipe Esparta Cheerleading e Liamara Fernandes, responsável pela Bateria Esparteria, nos contou sobre as ações realizadas pelas equipes! Ambas possuem a característica particular de terem sido criadas e desenvolvidas com a presença constante de promoções independentes apoiadas pela Atlética, o que resultou em um grupo unido e focado em seus objetivos!

Quanto à Bateria Esparteria,, Letícia e Liamara afirmam que “ações como mobilizar a galera para vender uma rifa em um ponto estratégico e vender lanche ou picolé em eventos do curso, fazem com que a arrecadação de dinheiro se torne algo menos maçante e cansativo. Temos trabalho de pensar o que vai ser vendido, mensurar a estimativa de lucro analisando o quanto precisamos, comprar e/ou fazer os produtos, montar tabelas de vendas, dividir as funções com resto da equipe e, por fim, gastar toda nossa lábia para que a ação se concretize. Mas também conseguimos comprar instrumentos novos e cuidar da manutenção desses sem precisar ficar pedindo dinheiro o tempo todo para tesouraria da Atlética ou até mesmo para os nossos ritmistas, os quais se sentem mais valorizados e pertencentes ao grupo quando trabalham em conjunto e percebem que a união, de fato, faz a força para a evolução e crescimento do todo!”.

No que diz respeito ao Esparta Cheerleading, Júlia nos conta que “antes de tudo, é fundamental que todos os atletas da equipe estejam alinhados e entendam a importância da participação de cada um para atingir os objetivos. Acredito que a primeira coisa a ser pensada é a caixinha mensal, assim todos contribuem diretamente e sem muito esforço. Mas como na Esparta, por exemplo, no início desse ano estávamos com uma dívida com nosso treinador e sonhávamos com o tatame, a caixinha não seria o suficiente.

Vendemos rifas, copos, comidinhas nos eventos da atlética, Carta Curinga (um cartão de desconto em vários estabelecimentos)… Mas o que deu mais certo foi nosso bar em festas locais. Montamos um bar com brincadeiras diferentes como beer pong, flip cup, funis para virar bebida, flamejante, dado e outras coisas e fez bastante sucesso entre os produtores da nossa cidade e da região. O investimento inicial é baixo, quase não dá trabalho a não ser no dia da festa e o retorno é bem alto! Levamos entre 10 e 15 pessoas a cada bar e, geralmente, o pagamento são cortesias da própria festa e só temos que vender (o que não é muito difícil). Conseguimos pagar nossa dívida, arcar regulamente com o pagamento do Romi, nosso treinador, e em sete meses conseguimos comprar o tatame!”

Com este texto, esperamos que você e sua equipe consigam planejar suas ações financeiras com responsabilidade, dedicação e muito amor! Nós do Integraê estamos na torcida para que vocês consigam alcançar todos os objetivos! <3

Quer saber mais sobre o tema? Bora lá:

Pagamentos e recebimentos: como organizar o financeiro da AAA?

Como arrecadar recursos financeiros para sua Atlética!

Como alavancar o financeiro da atlética!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here