Fotos OLHARR - http://facebook.com/olharr

“Eu já tive milhares de experiências no esporte, mas o vôlei federado nunca foi de ter torcida muito grande nos jogos, e no vôlei universitário a torcida é incrível! Me deixa arrepiada entrar em quadra e ver mais de 400 pessoas na arquibancada cantando pelo time, por mim!” (Mariana Chaia, Direito UFRJ)

É no sambódromo ou no campo de futebol da pequena cidade que recebe a competição que acontece um dos momentos mais esperados por todos. A premiação e o cabo de guerra é quando se tem o encontro de todas as delegações participantes e fazem uma festa linda. Muitos gritos são ouvidos e muitas cores são vistas, é a demonstração da paixão que se tem por vestir a camisa da sua faculdade. No sambódromo a baiana deixa de rodar e a corda ganha o destaque principal. Na arquibancada o que tremula sem parar é o bandeirão da torcida que não para de pular, num verdadeiro espetáculo.

Esse espetáculo é organizado por ela, a torcida. Mas e a torcida é organizada por quem? Fui procurando por aí como a torcida era organizada. E conheci dois modelos. Um deles era pela atlética e o outro era independente. Algumas coisas eram bem parecidas. Outras, nem tanto. O que eu mais vi foi o estranhamento de uma com relação a outra. Para ficar mais fácil separei em dois pontos que encontrei bastante diferentes.

Financeiro: captar o dinheiro no meio universitário já é alguma coisa bem complicada. Quando se tem uma torcida independente isso fica ainda mais difícil. Porque nada que vem para a atlética é revertida para a torcida. Uma solução que as torcidas independentes tiveram foi de fazer produtos, outra ideia foi estipular uma mensalidade.

Responsabilidade: numa competição, as atitudes da torcida são responsabilidades da atlética. No entanto, quando a torcida é independente, a atlética não tem como controlar e muitas vezes a AA’s conseguem recurso.

As diferenças entre as torcidas organizadas independentes não são muitas. Mas uma coisa é igual em qualquer lugar o amor pela AA. As duas torcidas lutam e se orgulham pela faculdade que representam e merecem todo o respeito pela batalha por espaço.

1 COMENTÁRIO

  1. […] Começar algo nunca é fácil, principalmente quando se envolve uma Atlética. Vai ter gente que vai ser contra, vai ter gente que vai delirar com a ideia, mas o principal é sempre manter o pé no chão e fazer algo que realmente transmita o que você sente pela sua Atlética: PAIXÃO! Então se liga nessas dicas para dar o pontapé inicial nesse (negócio) sentimento chamado TORCIDA ORGANIZADA. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here