Foto: Interunesp

Infelizmente ainda hoje temos muitos casos de machismo, racismo e homofobia dentro das faculdades e uma das maneiras encontradas para combater essas atitudes são as Comissões Acolhedoras – CAs. Conforme pesquisa realizada pelo Instituto Avon em 2015 com 1.823 universitários de graduação e pós-graduação de todo o Brasil, 67% das mulheres falam já ter sofrido algum tipo de assédio enquanto que 38% dos homens reconhecem já ter cometido.

Com a pesquisa realizada pelo instituto fica claro que ainda existe uma necessidade das organizações se movimentarem contra essas ações, uma vez que elas claramente ainda não se tornaram um passado. O assédio e preconceitos ainda são uma realidade no meio acadêmico, por mais evoluído e desconstruído que esse possa parecer ser.

As mulheres da Atlética Lagoa do Sino têm o orgulho de divulgar a COMISSÃO ACOLHEDORA da Lagoa do Sino: “nosso intuito é criar um grupo de acolhimento para todos aqueles que se sintam oprimidos ou agredidos física ou moralmente, dentro e fora do campus Lagoa do Sino. Receberemos denúncias em casos de abuso, preconceito e violência de QUALQUER tipo, dentro de festas, na cidade e na universidade!”.

Além de agir contra, é necessário saber como! Não basta existir uma CA, é necessário que esta tenha treinamento para saber como lidar com as situações. Na UNICAMP, no final do ano passado, foi criada uma Liga das Comissões Acolhedoras que tomou a frente de realizar treinamentos para os seus membros. A Liga se formou depois de alguns casos de assédios que aconteceram em festas das repúblicas de Barão, sendo criada por membros da Associação de Repúblicas da Unicamp (ARU), atuando em diversas festas aos longo da semana e sempre divulgando em sua página do Facebook onde estará presente. Além de estar presente nas festas e retirar as pessoas que cometem algum assédio ou preconceito quando confirmado pelas vítimas que aquela é a pessoa certa, as CAs também podem punir os agressores, podendo não participarem de novos eventos da faculdade conforme o grau de agressão ou reincidência.

“A Liga das Comissões Acolhedoras da Unicamp tem o prazer de anunciar que nosso treinamento ficou pronto! Você que já atua como comissão acolhedora nas festas ou não atua, mas tem interesse em compor essa equipe, está convocadx a participar deste treinamento”.

Enquanto ignoramos os casos de abusos, eles se tornam mais fortes. Quando nos unimos para garantir o bem comum, conseguimos observar o quanto somos fortes e capazes de mudar as coisas com que não concordamos! A existência das CAs prova que podemos agir, que quando minorias se unem para o bem comum elas conseguem alcançar seus objetivos. Nos lugares que foram criadas CAs é possível observar que cada nova atuação delas os relatos de abusos diminuem.

“Não custa repetir, NÃO SERÁ TOLERADO! A Comissão Acolhedora – Engenharia Unicamp estará presente na festa garantindo que o respeito esteja presente em todos os momentos! Além de pessoas devidamente identificadas andando pela festa, teremos uma delegacia de denúncias preparada para receber denúncias e acolher quem precisar (na chapelaria)! A intolerância é intolerável!”.
Os Reinos estão em guerra, porém o respeito é obrigatório! OPRESSÃO, NÃO! Se você presenciar ou sofrer algum tipo de opressão, procure imediatamente um representante da COMISSÃO ACOLHEDORA do Juli!“.

Já pensou em criar uma CA aí na sua facul? Todos nós somos capazes de fazer a diferença, podemos construir um futuro melhor se estivermos unidos!

Respeito às diferenças: como o meio de Atléticas e Jogos mudaram!

Mulheres que marcaram a gestão de suas Atléticas

A importância do respeito à cidade-sede!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here