Começar algo nunca é fácil, principalmente quando o assunto é trazer financeiro para o caixa da Atlética. Muitas associações passam meses e semanas planejando uma festa grandiosa, linda e digna de bis. Sua diretoria perde (ganha) horas trabalhando para construir um evento que vai ficar na boca do público-alvo por meses e vão até comparar seu evento aos demais. Você cria a primeira, a segunda e a terceira edição com públicos fiéis, que é só anunciar o lote promocional e eles são os primeiros a estarem lá pra comprar.

Mas já parou pra pensar se sua festa está realmente regularizada? Não vamos abordar o assunto de alvará, segurança e esses tipos de coisas, e sim o próprio registro como forma de patente do nome da festa. Já parou pra pensar sobre isso?

Como você irá fazer para bater de frente com outra atlética que viu seu sucesso e simplesmente anunciou OUTRA FESTA com o MESMO NOME, mesma estrutura e os mesmos valores de lote? Sacanagem, irmão Tá, aí você me diz que é simplesmente falar que não é sua AAA que está organizando e boa. Só que não é assim, a galera que não tá envolvido com atléticas não da a mínima para saber quem organizou aquela festa TOP que ela foi, mas assimila apenas o nome da festa.

Você vai mesmo querer correr o risco de perder mais da metade do seu público pelo simples fato de não ter uma arma mais poderosa pra combater? Então, o Integraê te ensina como.

  • Inclusão da festa dentro do próprio Estatuto social da AAA

Essa de fato é a melhor forma de tornar regularizada não somente sua festa, mas também sua AAA, na confecção do seu estatuto social, onde irá registrar em cartório todas as ações da atlética, abre uma cláusula extra incluindo os eventos realizados pela própria associação que não terá problemas referente a isso.

A atual presidente da LAUFMS, Maria Fernanda Amarilha, todas as festas e eventos de incumbência de realização, quando há união de todas as AAA’s da UFMS, tais como Calourada e Integração UFMS, é registro interno incluso em estatuto, ou seja, nenhuma atlética que tenha vontade de sair da liga e depois movimentar uma calourada independente, será enquadrada em um mandato judicial para mudança de nome da festa ou cancelamento da mesma.

De acordo com Beatriz Braidoti, atual C.O. do Inter e CO da Integração Ilha Solteira relata que já tentaram usar o nome de um dos eventos para bem próprio, porém sua AAA foi resguardada devido ao registro prévio em estatuto e foi apenas entrar em contato com a organização e pedir amigavelmente a mudança do nome do evento.

Izabella Brosa, vice-presidente da X de Junho acredita que o registro é importante para o movimento social entre as atléticas, assim ninguém precisa usufruir do esforço da outra para se engrandecer. Mesmo possuindo apenas o registro em patrimônio por usar a sigla “X” em seus eventos, irá correr atrás da formalização em estatuto para ficar mais resguardada.

Se a sua AAA já possui regularização em cartório, infelizmente, terão que incluir como reformulações de estatuto, pois isso acontece a cada ano ou dois anos de estatuto, que é algo normal para cada diretoria nova que entra ou ficando viável a segunda opção que iremos abordar.

  • Registro individual

O registro individual consiste em apenas criar uma regularização do próprio evento. Funciona igual um registro de AAA: terão que criar um estatuto próprio do evento, ata e fazer os pagamentos de taxas para tal ato.

Esse tipo de opção seria um custo a mais que sua atlética teria anualmente, pois diferente de uma AAA que muitas vezes são registradas como entidades filantrópicas, uma festa ou evento rende lucros e terão que prestar contas. Porém, é mais uma opção de resguardo para seu evento e seu público.

  • Patrimônio da Atlética

O patrimônio de uma atlética é sua marca registrada em todos os produtos confeccionados pela mesma, sendo em camisetas, bonés, gorros, chinelos etc. Então, não concordam que utilizar as mesmas cores de outra AAA e fazer seus produtos idênticos resultaria em PLÁGIO?

Mesclar o nome da sua AAA com o nome do seu evento é uma PUTA opção, assim vocês constroem um evento englobado ao patrimônio da sua própria atlética e não prejuízos ou serem “roubados” por causa do nome da festa.

De acordo com Gustavo Scuarcialupi, ex-presidente da CANAAA optou pela associação entre o tema do evento que a diretoria estava predestinada a fazer juntamente com o nome da sua atlética, dando origens a eventos como MEXICANAAA e MANSÃO CANAAA STRONDA.

Segundo Graziele Macedo, diretora de eventos da AAAEUEM, a diretoria e fundadores optaram em fazer uma festa que tem tudo a ver com sua AAAs, então, porque não usar o mascote juntamente com o tema da festa em questão, assim, surgiu a MOSQUITADA.

Está é uma opção que além de manter salvo seu evento e seu público, é também muito criativo, somando pontos para a sua festa.

De fato, pensar em todos esses trâmites para formalizar uma festa pode ser um processo trabalhoso, por isso muitas atléticas correm o risco de terem suas festas roubadas. E, mesmo ocorrendo com chances baixíssimas, não deixa de ser perigoso, porque quando não há comprovação de titularidade o jeito muitas vezes é acabar dividindo público com a outra organização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here